Portal Tour na Itália: turismo, cultura, tours, serviços e experiências!

Vamos conhecer 15 curiosidades sobre o Vêneto, uma das regiões mais bonitas da Itália, e também uma das mais famosa.

A região está no imaginário popular, graças a beleza ímpar de Veneza e seus inúmeros canais, o icônico romance entre Romeu e Julieta e toda importância histórica da região. Não é atoa que o Vêneto é a região mais visitada da Itália. Saiba mais curiosidades sobre o belíssimo Vêneto.

Informações sobre o Vêneto

  • A região do Vêneto está localizada no nordeste da Itália, e limita-se ao leste com o Friuli Venezia Giulia, a Áustria ao norte, Trentino-Alto Ádige a noroeste, a oeste com a Lombardia e ao sul com a Emília-Romanha;
  • O Vêneto está dividido em sete províncias: Belluno, Pádua, Rovigo, Treviso, Veneza, Verona e Vicenza.
  • As maiores cidades da região são Veneza, Verona, Pádua e Vicenza;
  • Metade do território do Vêneto é formado por planícies, enquanto a outra metade é composta por colinas e montanhas. O clima da região costuma variar entre o continental e o mediterrâneo.

 

A história do Vêneto

Os habitantes mais antigos conhecidos da região foram os Vênetos, que habitavam a região já por volta de 1000 a.C. Os romanos conquistaram a região por volta do primeiro século antes de Cristo, tornando-se uma importante província dentro do império.

Após a queda do Império Romano, a região foi invadida por povos germânicos, que se estabeleceram na região. Primeiro, os Ostrogodos, que criaram um reino que durou entre 493 e 552, seguidos pelos Lombardos, que estabeleceram um reino que durou de 568 até 774, disputando com o Império Bizantino a posse de alguns territórios, como Veneza.

No século IX, já livre do domínio bizantino, surge a República de Veneza, uma poderosa cidade-Estado, cuja história e influência política ficaram marcadas na história da Europa. A cidade expandiu seu poder graças ao controle das rotas marítimas no Mar Adriático e Egeu, garantindo a supremacia no comércio com os  mercados do Oriente. A cidade atingiu seu auge por volta do século XV, mas logo em seguida iniciou um lento processo de decadência, causado, sobretudo, pela descoberta de novas rotas comerciais, que tiraram de Veneza o monopólio comercial que gerava suas riquezas. A invasão das tropas de Napoleão Bonaparte, em 1797, decretaram o fim da República de Veneza. Em 1866, toda a região do Vêneto foi anexada pelo Reino da Itália.

15 Curiosidades sobre o Veneto

1. É a região mais visitada da Itália

Veneto é a região que mais atrai os turistas. Em grande parte, esse turismo é gerado pela curiosidade que as pessoas têm em conhecer Veneza, uma das cidades mais emblemáticas do mundo. Mas, além de Veneza, a região tem muito mais a oferecer, como as montanhas, o belo litoral do mar Adriático, e cidades como Verona, Pádua, entre outras.

Trekking enogastronômico na região do Prosecco - Itália

2. Maior produtor de vinho do país

A região também responde pela maior produção de vinho do país. Ao longo dos seus mais de 18.000 km² estão espalhados inúmeros vinhedos, responsáveis por alguns dos tipos de vinhos mais famosos do mundo, tais como:

  • Valpolicella: vinho tinto seco, feito com uvas Rondinella, Molinara e Corvina;
  • Prosecco: espumante mais famoso da Itália;
  • Bardolino: vinho tinto leve, de consumo imediato;
  • Amarone: feito com as mesmas uvas do Valpolicella, porém, as uvas passam por um processo de secagem, que as deixam parecidas como uma uva passa;
  • Recioto: tinto suave, de longa duração;

Leia também:

3. Veneza, a “cidade flutuante”

A região do Vêneto abriga uma das cidades mais incríveis do mundo. Capital e maior cidade da região, Veneza, também conhecida como La Sereníssima, recebe aproximadamente 3 milhões de turistas todos os anos. Formada por mais de 100 ilhas ligadas por inúmeros canais e pontes, a cidade tem uma história riquíssima, uma belíssima arquitetura, e os famosos e românticos passeios de gôndola.

Veja também – 15 Curiosidades sobre Veneza

A cidade foi uma das mais poderosas cidades-Estado italianas durante a Idade Média, é a terra natal do músico Antonio Vivaldi, e ainda inspirou a recém fundada nação norte americana, que se inspirou nas leis da cidade para criar a sua própria.

A relação de Veneza com a água é uma relação de amor e ódio. Se por um lado é a água que a torna tão especial, por outro, pode ser também um grande problema. Veneza sempre travou uma luta com a água, mas nas últimas décadas essa luta tem se tornado cada vez mais difícil. A cidade tem sofrido com o efeito das marés, as chamadas “acqua alta”, que acabam por inundar boa parte da cidade. Além disso, estudos apontam que a cidade está afundando cerca de 2 milímetros por ano.

Casa de Giulietta em Verona

4. Romeu e Julieta

Escrita entre 1591 e 1595 por William Shakespeare, Romeu e Julieta ( em italiano Romeo e Giulietta) é um dos romances mais famosos e lidos do mundo. A trágica história de amor dos protagonistas, que já foi diversas vezes retratada no teatro e no cinema, se passa na bela cidade de Verona, a segunda maior do Vêneto.

Veja também – Atrações imperdíveis em Verona, cidade de Romeu e Julieta

A trama conta a história de Romeu e Julieta, dois jovens apaixonados, mas cujo amor é proibido, pois fazem parte de duas famílias que são inimigas. Shakespeare se inspirou em antigas histórias de romances trágicos, muito populares na Idade Média, para compor sua história.

Mapa Dialetos na Itália
Mapa Dialetos na Itália

5. Dialeto Vêneto

Assim como nas outras regiões italianas, o Vêneto também tem seu dialeto, que ainda é muito utilizado por lá. É considerado um dialeto do italiano, embora muitos estudiosos tendem a classificá-lo como uma língua independente, devido às diversas diferenças estruturais existentes entre ele e o Italiano padrão.

Uma das características do idioma veneto é que a letra c, quando vem antes de “e” e “I”, é pronunciada com som de s, igual ao português, o que o deixa com uma sonoridade bem diferente do italiano padrão. O veneto é uma língua formada, durante a Idade Média, e não deve ser confundida com o Venético, uma língua já extinta e que era falada na região antes da expansão do latim através dos romanos.

6. Grande onda migratória no século XIX

Grande parte dos italianos que deixaram a Itália no final do século XIX saíram da região do Vêneto. Por motivos econômicos, essas pessoas buscavam uma vida melhor no exterior, dirigindo-se principalmente para países como Estados Unidos, Argentina e Brasil.

E já que acabamos de falar do dialeto vêneto, muitos imigrantes dessa região se estabeleceram no Rio Grande do Sul, organizando-se em grandes comunidades que buscavam preservar suas origens. Assim surgiu o Talian, um dialeto falado pelos descendentes desses imigrantes, e que tem como base o dialeto do veneto.

7. Um das arenas romanas mais bem preservadas

Em Verona localiza-se uma das arenas romanas mais preservadas. As arenas romanas eram grandes anfiteatros onde eram realizadas as famosas lutas de gladiadores, entre outros eventos.

Veja também – Uma noite de Ópera na Arena de Verona

A arena de Verona foi construída por volta do século I d.C., e tinha capacidade para até 30.000 espectadores. A arena está tão bem preservada que até hoje é utilizada para espetáculos como óperas, shows e peças de teatro.

Di Didier Descouens – Opera propria, CC BY-SA 4.0, Wikipedia Commons

8. A segunda universidade mais antiga da Itália

A Universidade de Pádua foi fundada em 1222, e só não é mais antiga do que a Universidade de Bolonha, fundada em 1088 e considerada a mais antiga do mundo.

9. A primeira mulher a se graduar em uma universidade

A primeira mulher a se graduar em uma universidade nasceu no Vêneto. Isso aconteceu no distante século XVII, justamente na Universidade de Pádua. Elena Lucrecia Piscopia nasceu em Veneza, em 1646, filha de Giovanni Battista que ocupava um importante cargo administrativo na cidade. Desde criança Elena já se destacava nos estudos, sendo fluente em várias línguas, além de dominar matemática, filosofia e teologia. Apesar de seu talento, e mesmo tendo origem nobre, foi impedida pelo bispo da cidade de estudar teologia pelo fato de ser mulher. Porém, graças à insistência de Elena e de seu tutor, conseguiu estudar filosofia, graduando-se com louvor em 1678, e tornando-se a primeira mulher a conseguir tal feito.

10. O manual de aritmética mais antigo já publicado

Larte de labbacho (L’Arte dell’abbaco em italiano e “A arte do ábaco” em português), também conhecida como Aritmetica di Treviso, é um manual prático de aritmética escrito por um autor desconhecido, publicado em Treviso no final de 1478.. É considerado o primeiro manual de aritmética, e era voltado para uso pelos comerciantes locais. 

Foi escrito no dialeto veneziano para, dessa forma, atingir um maior número de leitores.

Carnaval de Veneza - Itália

11. O carnaval mais tradicional da Itália

Uma das principais atrações da cidade, o carnaval de Veneza é o mais antigo e famoso da Itália. As origens da festa remontam ao século XVI, e sua principal característica é o uso de máscaras.

Veja também – Dicas de como se divertir no Carnaval de Veneza

Conta-se que a nobreza da cidade que participar da festa, mas não queria ser vista celebrando junto da grande massa, e por isso, desfilavam de máscara. O uso das máscaras acabou por se tornar uma tradição neste evento que é marcado pelos desfiles que percorrem a cidade toda ao longo dos seus dez dias de duração.

12. Spritz

Spritz é uma bebida muito popular na Itália, feita com uma mistura de vinho branco, geralmente prosecco, um amargo “bitter amaricante“, muito utilizado o Aperol, e seltz (água com gás, soda). Desde 2011 é um coquetel oficial do IBA (International Bartenders Association)

O local exato de sua origem é incerto, (provavelmente entre Veneto e Friuli-Venezia Giulia) mas sua história é bem conhecida. Durante o período de dominação austríaca no norte da Itália (século XVIII), os soldados austríacos que ocupavam a região tinham o costume de beber vinho nas tabernas locais. Por considerarem o vinho regional muito forte em comparação com os vinhos da Áustria, pediam que um pouco de água fosse borrifada – “alongada” (spritzen, em alemão) e misturada ao vinho, para deixá-lo um pouco mais suave. A dominação austríaca terminou, mas o costume de consumir o aperitivo continua em alta até hoje.

Como coquetel, o spritz provavelmente nasceu entre os anos 20 e 30 do século XX, entre Veneza e Pádua, quando se decidiu combinar este costume com Aperol (um produto paduano nascido em 1919) ou Select (produzido pelos irmãos venezianos Pilla). Tornou-se popular primeiro em Veneza e Pádua e, a partir dos anos 70, em toda a região do Vêneto, enquanto a partir de 2011 foi oficializado pela IBA primeiro com o nome de “Venetian spritz“, depois simplesmente como “spritz”.

A sua notoriedade a nível nacional deu-se através da publicidade da Aperol que no início de 2008 lançou uma campanha publicitária, favorecendo assim a sua difusão também no resto da Itália e no estrangeiro.

13. Venetismo, o movimento separatista do Vêneto

O Regionalismo Veneto, também conhecido como Venetismo, é o conjunto de associações, partidos e pessoas que apóiam a autonomia ou independência do Vêneto.

O norte da Itália tem sido palco de grandes movimentos separatistas, que buscam mais autonomia perante o governo italiano e, em alguns casos mais extremos, defendem a independência de certas regiões. Um desses movimentos é o Venetismo. Surgido na década de 70, esse movimento é uma junção de vários grupos, que a princípio tinham como objetivo promover a cultura, o idioma e as tradições do Vêneto. Com o tempo, o movimento se radicalizou, e hoje, com o apoio de vários partidos políticos da região, tem se inclinado à luta pela separação e independência do território.

Alguns partidos políticos, como a Lega Nord, têm defendido a criação de um novo país a partir da união de regiões como a Lombardia, Piemonte, Vêneto, Vale d’Aosta, Trentino Alto Adige, entre outras. As motivações desses grupos vão desde questões econômicas (o norte é a região mais rica do país, e seus habitantes reclamam que seus impostos sustentam todo o país) até questões éticas (muitos habitantes do norte não se consideram italianos).

Tiramisu

14. Tiramisù

Essa é uma das sobremesas mais famosas (e saborosas) da Itália. O tiramisù é um doce tradicional e prodotto agroalimentare tradizionale (produtos incluídos em lista especial, estabelecida pelo Ministério de Políticas Agropecuárias, Alimentares e Florestais) difundido em todo o território italiano, cujas origens são debatidas e atribuídas sobretudo ao Veneto e Friuli Venezia Giulia. É uma sobremesa à base de savoiardi (ou outros biscoitos de consistência esfarelada, tipo “champagne”) embebido em café e coberto com um creme, composto por queijo mascarpone, ovos e açúcar, que em algumas variações é aromatizado com licor.

Não se sabe exatamente onde e quando surgiu, mas muitas teorias apontam para a região do Vêneto durante a década de 50. Sugiro a leitura do texto aqui do portal – A história do Tiramisù

Di Naturpuur – Opera propria, CC BY 4.0 – Wikipedia Commons

15. Uma das exposições internacionais das artes mais importantes do mundo

A região do Vêneto é palco de uma das exposições internacionais das artes mais importantes do mundo, que ocorre a cada dois anos: a Bienal de Veneza. Essa bienal está dividida em vários eventos de suma importância. São eles:

  • Arte – Exposição Internacional de Arte
  • Música – Festival Internacional de Música Contemporânea
  • Teatro – Festival Internacional de Teatro;
  • Arquitetura – Exposição Internacional de Arquitetura;
  • Dança – Festival Internacional de Dança Contemporânea;
  • Cinema – Festival Internacional de Cinema de Veneza

O principal evento realizado no âmbito da bienal é o Festival Internacional de Cinema de Veneza, realizado anualmente, desde 1932. Trata-se do festival de cinema mais antigo do mundo e um dos três mais importantes da Europa atualmente.

Uma curiosidade extra (na verdade, depois do texto pronto que lembrei de mais 1 curiosidade 😂)!

16. O Tortellino “Nodo D’Amore”

Muito se fala que na região da Emília Romagna, onde um dos pratos típicos é o tortellino, mas o de Valeggio sul Mincio há algo de diferente, é o tipo de massa e o tipo de, bom direi “fechadura” da massa é diferente…. mas sobretudo…. ha uma lenda muito apreciada. E claro, como toda lenda que se presa na Itália tem a ver com o que? O amor… – oh terra pra ter gente romântica ne?

Não se pode chamar esse tortellini de um simples “tortellini”….. não, não, não. Valeggio é a casa do “Nodo d’Amore”, ou, em português, o nó de amor. O nome nasceu de uma lenda de amor do século 13, que eu conto no texto – Tortellino “nó do amor” de Valeggio sul Mincio. Os Tortellini de Valeggio são feitos com massa de ovos, com um recheio de carne de boi, porco, frango, aromas naturais (cebola, cenoura, aipo e alecrim), vinho Bardolino e um pouco de farinha de pão cozidos juntos, depois toda a mistura é moída até obter uma massa macia. O recheio é colocado sob a massa, em seguida, cortada em quadradinhos e fechada.

Assocazione Ristoratori Valeggio (Associação dos Restaurantes) organiza um festival anual de tortellini em honra a pasta dourada e a história de amor de Malco e Silvia. Na terceira terça-feira de Junho de cada ano, a Ponte Visconteo fica fechada ao trânsito e fica cheia de mesas para uma grande festa chamado de Festa del Nodo d’Amore (Festival do nó do amor). Para poder participar desta festa tem que reservar até no máximo março!

.

Como vimos, é fácil entender o motivo de a região do Vêneto ser a campeã do turismo na Itália. A beleza da região, juntamente com sua rica história e sua já lendária capital fazem do Vêneto um destino que não pode faltar no seu roteiro. Se você gostou do texto, veja mais dicas que escrevemos sobre a região, e se pretende viajar pelo Vêneto, saiba que temos várias opções de tours em português por lá, além de várias outras experiências!

Sobre Deyse RibeiroSou Deyse Ribeiro, nasci em Minas Gerais, e vivo na Itália há 14 anos. Sou especialista em turismo na Itália, onde adquiri experiência atuando desde 2011 como guia de turismo, criadora de conteúdo sobre turismo e empresária no ramo. Abri minha primeira empresa em 2017, e ofereço serviços, tours, transfers e experiências únicas na Itália, através do Portal TourNaItália.com - uma boutique de experiências diferente de tudo o que você já viu!

3 comentários em “15 Curiosidades sobre o Vêneto”

  1. Nestor Romanzini

    Oi Deyse Ribeiro,
    Ótimo texto!
    Sou descendente de Italianos originários, provavelmente da região de Vêneto.
    Meus bisavós paternos Italianos possuiam o sobrenone: Romanzini ou Romancin ou Ramanzin ou Romanzin e Pan ou Pam
    Algumas informações que conseguimos indicam que meus bisavós seriam originários da Região de Vêneto.
    Como conseguiria encontrar algum registro????
    Sabe quem pode ajudar??

    1. SHEILA PATRICIA DE ANDRADE

      nestor, você pode através do site familysearch.org construir sua árvore genealógica ao cadastrar os parentes que você conhece e tem certeza. Pelo nome, vais chegando aos ascendentes mais distantes, com sorte.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *