Portal Tour na Itália: turismo, cultura, tours, serviços e experiências!

Belluno: a cidade aos pés das Dolomitas

Belluno, a cidade italiana situada na região do Vêneto é muito mais que uma cidade próxima às montanhas; listamos abaixo todas as suas belezas, entre heranças históricas e culturais.

Introdução

Se você nunca ouviu falar em Belluno, precisa saber a história dessa cidade antes de decidir seu itinerário de viagem na Itália. Situada na região do Vêneto, a cidade é capital de sua província, que carrega o mesmo nome, e possui somente 36 mil habitantes.

E, parece, que isso acaba sendo uma regra quando falamos de cidades na Itália: quanto menores, mais belezas elas escondem. Belluno é localizada completamente dentro de um parque natural.

Por todas as suas belezas, apenas uma vista por seu centro e uma caminhada por seus confins já são suficientes para te deixar apaixonado por Belluno.

A cidade é localizada na confluência do rio Piave, servindo como uma posição defensiva estratégica. Por isso, Belluno foi protagonista nas duas Guerras Mundiais, como um grande coringa italiano.

Belluno serve ainda de ponte para duas regiões distintas do Vêneto – ela  liga as planícies baixas ao sul e as montanhas das Dolomitas ao norte. Ambas as paisagens podem ser observadas desde a Porta Rugo, monumento construído no século 12, situado na rua principal da cidade velha.

A cidade reserva uma boa variedade de belezas, entre a Torre Civica, que preserva tudo que restou da época medieval, e a Piazza del Mercato, com palácios renascentistas com arcadas e uma fonte erguida no século 15.

Ao sul de Belluno, ainda estão as estações de esqui do Alpe del Nevegal. Durante o verão, um teleférico funciona em Faverghera, subindo até a marca dos 1.600 metros da montanha e oferecendo um panorama indescritível.

Já na região norte da cidade, Belluno faz parte tanto do Parque Nacional das Dolomitas Bellunesi quanto das Dolomitas, região que foi declarada Patrimônio da Unesco em 2009. Campeã de títulos de bem-estar social e eleita Cidade Alpina do Ano por tantas vezes, ela se apresenta enquanto a única capital de província com território inserido completamente em um parque nacional. Para saber mais sobre as suas belezas naturais e história, confira abaixo:

Belluno: a história por trás da Dolomitas

Porta de entrada das Dolomitas e com a janela aberta para as planícies venetas, Belluno é uma pequena joia italiana escondida em meio a uma série de relevos montanhosos que a abraçam por todas as partes.

Registros históricos remontam as origens da cidade ao século 4 a.C., quando os povos passaram a ocupar o seu território. Dos celtas, primeiros a chegarem ali, deriva, inclusive, o seu nome. Belodonum quer dizer “altura luminosa”.

Mais tarde, ela se torna um município romano, e passa por diversas mãos, sob controle dos Ostrogoti, Goti, Bizantinos, Longobardos e Francos. Finalmente, com Ottone, o Grande, ela se torna uma cidade livre. Entre uma série de invasões, dominações e reconquistas, Belluno se integra ao Reino da Itália em 1866.

Por todo esse histórico, a cidade era munida de torres e castelos, para a sua própria proteção e defesa contra possíveis ataques. Hoje, ela guarda testemunhas desse passado entre antigas construções que a dominam.

Entre os destaques, estão as três portas – Dojona, Dante e Rugo -, preciosas fontes, a catedral construída no século 16, com obras de arte e afrescos icônicos, o antigo teatro, a biblioteca, e outros pontos importantes que vamos conhecer abaixo.

Então, o que ver em Belluno?

A Piazza del Duomo é uma das principais portas de ingresso de Belluno. Sobre as margens do rio Piave está o estacionamento de Lambioi, ligado ao coração do centro histórico da cidade por uma escada rolante panorâmica, que permite acesso direto à Piazza del Duomo.

Área comum entre os locais e turistas, para passar o tempo e relaxar, o estacionamento dispõe de uma área destinada ao camping, oferecendo água corrente e um pequeno parque verde, com jogos para crianças, grandes mesas, bancos e trilha para caminhada.

Belluno oferece aos visitantes uma série de atrações importantes. Entre os seus eventos tradicionais mais populares, estão a Festa Antiga de Nossa Senhora das Dores (celebrada desde 1716), na primavera, o Mercado deUsados e Antiguidades, no verão, a festa cultural dedicada às montanhas, chamada “Oltre le Vette”, em outubro, e a Feira de São Martin, em novembro, homenageando o padroeiro da cidade.

Além disso, claro que a esse calendário ainda somam-se exposições, espetáculos e eventos culturais esporádicos.

Quem visita Belluno, vê em seu centro histórico um presente. O local oferece tesouros artísticos e naturais em uma realidade urbana, circundada por um território rural denso de centros menores, mas com uma riqueza paisagística.

Segundo um escritor local, chamado Dino Buzzati, a cidade de Belluno é um local com “personalidade especial, encanto extraordinário, mas que poucas pessoas conhecem de fato. Lá, encontram-se o mundo de Veneza – com a sua serenidade e a fineza clássica -, e o mundo nórdico – com as montanhas misteriosas, longos invernos, brincando entre a beleza da natureza e um sentimento de solidão”.

Pronto para embarcar nessa aventura? Confira abaixo uma seleção de lugares para visitar em sua tour por Belluno:

1. Basilica cattedrale di San Martino

A basílica, erguida no lugar onde reinava uma antiquíssima igreja paleocristã, viu diversas reformas ao longo de sua história, entre mudanças internas e externas. A sua atual forma foi uma realização de Tullio Lombardo, no ano de 1517, enquanto o seu campanário é ainda de um período sucessivo, assinado por Filippo Juvarra – famoso por ter arquitetado uma série de palácios para a tradicional Casa dos Saboia.

2. Palazzo dei Rettori

O prédio levantado por volta do século 15 tem seu arquiteto ainda desconhecido. Ele já foi sede por mais de 400 anos por administradores de Belluno, e hoje é sede da prefeitura da cidade.

3. Palazzo Rosso

Construído em 1833 por Giuseppe Segusini, o prédio possui um estilo neogótico encantador, e utilizou material da demolição de uma antiga construção para a sua base.

Piazza dei Martiri

 

4. Villa Fulcis Montalban

Esse complexo é um grande paralelepípedo de três andares, com tetos em pavilhões. O seu comprimento impressiona, apesar de ser pouco profundo. Nessa cena, o seu jardim rouba a cena, localizado sob uma montanha, montando um panorama de arrancar suspiros.

5. Ponte della Vittoria

Construída já no século 20, a ponte é um projeto do engenheiro Eugenio Miozzi e possui decorações em concreto. A ponte está situada na área de Borgo Piave, e é percorrível somente na direção ao centro da cidade, nunca em direção oposta.

6. Teatro Comunale

Também sob estilo neoclássico, o teatro da cidade de Belluno é um sonho para os amantes das artes dramáticas. O projeto do século 19 foi assinado por Giuseppe Segusini, e sua fachada se conecta com outras obras feitas pelo mesmo artista em outras cidades do Vêneto.

7. Porta Dojona

Ela leva o nome de uma torre que ficava ao seu redor e constituía um complexo fortificado. Seu arco interno foi levantado no século 13, por Vecello da Cusighe. Já seu estilo renascentista foi projetado por Niccolò Tagliapietra, em 1553. Tendo passado por restauros recentes, é sempre impressionante admirar a sua construção.

8. Porta Rugo

Como um dos principais acessos à cidade, ela fica logo sobre o antigo porto fluvial de Borgo Piave. Em séculos passados, foram destruídas construções defensivas próximas a essa porta, e o seu arco foi a única obra que sobrou nas redondezas. Seu projeto segue o original de 1622 levantado por Federico Corner, enquanto a última restauração foi feita em 1902.

9. Fontana di San Gioatà

A fonte se encontra na Piazza Duomo e abriga a escultura de San Gioatà, co-padroeiro da cidade. Ela foi construída em 1411.

 

10. Piazza Duomo

Essa praça pode ser considerada o coração político da cidade por toda a sua história. Nela, estão o palazzo dei Rettori, o palazzo Rosso e a catedral de San Martin, padroeiro da cidade. A última reforma no local foi realizada em 1873, logo depois do terremoto que destruiu partes da cidade.

11. Museo Civico

O Museu Cívico de Belluno se encontra no Palazzo Fulcis, perto da piazza Vittorio Emanuele. Ele foi aberto ao público em janeiro de 2017. Antes, ele ficava alocado em um espaço menor da cidade, no Palazzo dei Giuristi, sede histórica que inaugurou em 1876.

Agora, ele abriga uma coleção em cinco andares e 24 salas, entre obras de artistas da região. Entre os mais importantes, o vicentino Bartolomeo Montagna, os venezianos Domenico Tintoretto, Palma il Giovane, Jacopo Bassano e artistas locais, como Simone da Cusighe, Matteo Cesa, Francesco Friglimeca il Giovane, Gaspare Diziani e Sebastiano Ricci.

No museu, também estão diversas esculturas e entalhos, com obras de Brustolon, considerado o Michelangelo da madeira. É, de fato, o museu mais importante da cidade e uma passadinha por lá é quase obrigatória.

12. Mim

O Museu Interativo das Migrações é uma das principais atrações da cidade. No interior, é possível conhecer a experiência de centenas de pessoas, emigrantes e imigrantes, que podem ser revividas de forma interativa, com workshops e eventos mesmo fora dos limites do museu.

Mas, afinal, o que são as dolomitas?

Belluno é reconhecida pelas Dolomitas. Ok, já entendemos. Mas, afinal, o que são as dolomitas? As dolomitas são uma cordilheira nos Alpes da Itália, consideradas Patrimônio Mundial da Unesco.

Elas são muito famosas por suas belezas naturais e, por isso, tornaram as cidades costeiras tão visitadas. As dolomitas podem contar até com pontos com mais de 3 mil metros de altura.

Belluno já foi classificada por diversos anos como a cidade com o melhor ecossistema urbano em sustentabilidade, entre todas as capitais de províncias italianas. Por isso, para além de uma visita a um passado histórico milenar, uma passagem pela cidade é se deleitar com uma natureza intocada.

Além de Belluno, as dolomitas tocam também a Trento, Údine e Pordenone. A rocha dolomita é uma rocha carbonatada, o que acaba atribuindo essas formas e cores especiais às montanhas, que já foram conhecidas como “pálidas”.

Não sei por onde começar, e agora?

Entre tantas opções de atrações turísticas e opções de transporte para dolomitas, é normal se sentir perdido. Conheça os nossos serviços e aproveite o melhor da viagem. Oferecemos serviços de guia de turismo em português para conhecer toda a região, e também temos transporte com motorista na região do Vêneto.

🏷 Guia Prático

O que e onde comer

O prato mais tradicional da cidade é o pastin, com base em carne de porco, e está inserido na lista de produtos agroalimentares tradicionais italianos. Ele costuma ser servido com polenta ou com pão, além de, claro, um formaggio alla piastra, ou seja, queijo grelhado.

Outro produto típico da região é o salame bellunese, preparado com carnes suínas, bovinas e ovinas. Queijo especial da região é o schiz, um queijo fresco feito da coalhada do leite. É extremamente comum, em toda a província de Belluno, comer esse tipo de queijo com polenta.

Onde comer:

  1. La Fenice:  via Cavour, 13  / tel: 0437 380122
  2. La Nicchia:  via Giacomo Matteotti, 17/ tel: 327 175 0911
  3. Astor Food Cafe:  piazza dei Martiri, 26 / tel: 0437 943756
  4. La Taverna: Via Cipro, 7 / tel: +39 335 639 2970
  5. Enoteca Il Piacere:  Via Mezzaterra, 94 / tel: +39 0437 27705

Algumas informações importantes:

Como chegarMuseus e ingressosPróximo a BellunoMAPA
  • De trem: O trem chega em Belluno por meio de duas linhas ferroviárias, a Via Montebelluna ou a Via Vittorio Veneto. As principais estações da Província de Belluno são a Feltre, Belluno e Calalzo di Cadore, onde os trens se situam em posição estratégica para acesso às dolomitas.
  • De avião: O aeroporto mais próximo da cidade está na cidade de Treviso, seguido pelos de Veneza, Bolzano, Verona e Trieste, em distância.
  • De carro: Vindo do norte, de Brunico, pegar a SS 244 atravessando o Campolongo e Passo Falzarego. Vindo do leste, de Tolmezzo, pegar a SS 355 atravessando a Cima Sappada. Vindo do Sul, de Veneza, Treviso, Conegliano ou Vittorio Veneto, pegar a estrada A27 atravessando o Passo del Fadalto. Por fim, se vindo do oeste, de Ponte Gardena, pegar a SS 242 atravessando o Passo Sella, o Passo Pordoi e Campolongo.
  • De ônibus: A rede rodoviária provincial é coberta por ônibus que partem e chegam de províncias vizinhas, como uma grande rede de conexão entre as cidades limítrofes. Enquanto no inverno, são adicionadas linhas com direção às estações de esqui, no verão são contempladas linhas com destino a resorts à beira-mar.
  • Mim – Museu Interativo das Migrações – : Seg-Sex 8: 30-12: 30/15: 00-18: 00, Sáb e Dom mediante reserva – preço do bilhete: integral € 5,00
  • Palazzo Fulcis – Museo Civico – : ter-sex 9h30-12h30/15h30-18h30, sáb, dom e feriados 10h-18h30 – preço do ingresso: integral € 8,00

Próximo a Belluno: Alpes Orientais, Rotas das Dolomitas, Croda da Lago, Monte Civetta. As cidades turísticas mais próximas são Cortina d’Ampezzo (87 km), Veneza (107 km), Bassano del Grappa (78 km).

Galleria de fotos

Este slideshow necessita de JavaScript.

Pronto para conhecer o Vêneto? Entre delícias gastronômicas e uma viagem pela história de uma cidade milenar, recomendamos que você faça a viagem com um guia de turismo. Ele poderá te mostrar os segredos e melhores locais para desbravar a cidade. Conheça os nossos serviços! Além disso, ainda possuímos serviços de transporte com motorista por toda a região de Vêneto.

Sobre Deyse RibeiroSou Deyse Ribeiro, nasci em Minas Gerais, e vivo na Itália há 14 anos. Sou especialista em turismo na Itália, onde adquiri experiência atuando desde 2011 como guia de turismo, criadora de conteúdo sobre turismo e empresária no ramo. Abri minha primeira empresa em 2017, e ofereço serviços, tours, transfers e experiências únicas na Itália, através do Portal TourNaItália.com - uma boutique de experiências diferente de tudo o que você já viu!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.