Portal Tour na Itália: turismo, cultura, tours, serviços e experiências!

O que fazer em Bassano del Grappa, a cidade da grappa

Conheça Bassano del Grappa, na região do Vêneto, pequena cidade possui uma história milenar e produz uma das bebidas mais queridas entre os italianos, a grappa!

Introdução

Envolta por colinas, Bassano del Grappa é uma joia medieval localizada ao norte da Itália. A pequena cidade faz parte da região do Vêneto, na província de Vicenza, e possui cerca de 40 mil habitantes.

Passear por seu centro histórico é o mesmo que nadar em arte. As ruas do centro são adornadas de obras de Palladio, Canova, Jacopo da Ponte e Marinali. Na cidade, está o Museo Cívico, o mais antigo de Vêneto, que por si só já faz merecer uma visita à Bassano.

A cidade fica na base do Monte Grappa, e tem o rio Brenta cruzando-o. Por cima dele, a Ponte degli Alpini – ou Ponte Vecchio -, projetada no século 16 por Palladio. Construída em madeira, a ideia era que ela fosse flexível para que pudesse aguentar as águas do degelo da primavera.

Quem já ouviu falar sobre Bassano del Grappa, carrega sempre em mente os seus dois símbolos principais: a maiólica e a própria grappa. Enquanto a primeira diz respeito à cerâmica vitrificada decorada, inspirada a princípio na tradição hispano-mourisca, a segunda é conhecida como o digestivo preferido dos italianos. A grappa nada mais é que uma aguardente feita com os resíduos da fabricação de vinho.

Além desses, um outro símbolo sempre atrelado à cidade é justamente a Ponte Vecchio. Por conta de fenômenos naturais, ele foi constantemente reformado e renovado, passando por uma série de obras, mas sempre respeitando os desenhos originais palladianos.

Deixando a ponte, está o Museo degli Alpini, que guarda documentos históricos e relíquias antigas.

Uma outra tradição que garantiu a fama de Bassano foi a tipografia, que a ilustre família dos Remondini desenvolveu entre os anos 1600 e 1800. Para conhecer mais sobre as belezas e segredos dessa charmosa comuna italiana, descubra a sua história abaixo e confira as suas principais atrações turísticas.

Vamos nessa?

História

As primeiras construções aos pés da colina, nas margens do rio Brenta, remontam os restos da necrópole de São Giorgio di Angarano, por volta de XI a.C.

Então, a colonização romana toma conta da região por volta de II a.C., transformando os territórios em uma propriedade agrícola, criando alguns feudos.

Hoje, restam pouquíssimos vestígios das dominações longobarda e franca, mas seu período posterior deixou uma herança histórica: a Igreja de Santa Maria, que junto de seu castelo constitui o primeiro núcleo da original Bassano.

Na antiga história da cidade, Bassano se envolve com as políticas e agendas militares da família Ezzelini. Se por um lado, essa influência limitava o poder municipal da comuna, ela também favorecia pela experiência da nobreza em administração de bens e formação de magistraturas na comuna.

Nos tempos seguintes, a comuna se vê alvo de brigas territoriais, passando de mãos em mãos entre cidades italianas maiores, que possuíam maior poder e influência na região do Vêneto.

Então, quando Bassano passa a integrar a República de Veneza, em 1404, a cidade se vê em seu maior período de paz, entre desenvolvimento de suas atividades econômicas, como o processamento e venda de lã, seda e couro.

Logo depois, a sua vida artística fomenta, gerando uma dinastia de pintores e tipógrafos, dominando o mercado dos livros e espalhando o nome de Bassano por toda a Europa. Em 1760, o Senado de Veneza eleva Bassano ao posto de cidade.

Nos séculos seguintes, batalhas e guerras lutam pelo controle da pequena comuna. Finalmente, em 1866, as tropas italianas comandadas pelo general Médici toma Bassano e ela se torna oficialmente parte da Itália unificada. A comuna passa a ser ligada, pela ferrovia, com as cidades de Padova (1877), Veneza (1908) Trento e Veneza (1910).

Hoje, o processo de industrialização e desenvolvimento de atividades artesanais e comerciais determinaram a expansão urbana fora de seu centro histórico, marcando a criação de novos bairros e o aumento da população.

Bassano del Grappa: 10 atrações da cidade para conhecer

Ficou com vontade de conhecer a pequena comuna italiana, mas ainda não está convencido? Fizemos uma seleção das principais atrações para você mergulhar nas tradições da cidade.

Entre passeios por tesouros arquitetônicos e as delícias de uma gastronomia sem igual, Bassano del Grappa é realmente um achado em território italiano.

Como cidade pequena, suas praças, restaurantes e comércios são extremamente graciosos, proporcionando momentos tranquilos. Abaixo, confira as principais atrações:

1.   Centro Histórico

Quem visita cidades pequenas, sabe que os seus centros concentram os comércios e restaurantes. Em Bassano, não é diferente. Na cidade, você conhece o grande charme da comuna, podendo apreciar o belo Palazzo Monte de Pietà a partir da Piazza Montevecchio.

A primeira praça de Bassano já foi muito maior. O armazém do Grãos foi reformado e usado (1494) como Monte di Pietà: o severo “Monte Vecchio”, que dá nome ao lugar e que ostenta o brasão mais antigo da cidade: dois leões galopantes nas laterais de uma torre. A praça também era uma extraordinária galeria de arte ao ar livre. Em sua fachada leste, a casa Michieli-Bonato foi decorada com afrescos com cenas bíblicas, parcialmente ainda visíveis, de Francesco e Bartolomeo Nasocchio, contemporâneos da família Da Ponte. A adjacente Casa dal Corno-Bonato tinha decoração com querubins, animais e motivos alegóricos de Jacopo Da Ponte. Este friso foi destacado para ser restaurado em 1975 e posteriormente colocado no Museu Cívico.

 Também no centro, a Casa Dal Corno Bonato, que ostenta lindos afrescos, e o Duomo de Santa Maria in Colle, importante igreja da cidade.

Piazza Libertà – Foto: Wikipedia Commons

2.   Piazza Libertà

Considerada a praça central de Bassano, a Piazza Libertà possui diversas lojas, cafés e restaurantes. É o lugar perfeito para relaxar depois de uma caminhada pelo centro histórico.

Ela também abriga a Igreja de San Giovanni, de origem do século XIV, mas ampliada e reconstruída posteriormente: a fachada neoclássica e a capela do Sacramento, com estátuas barrocas, data de volta ao século XVIII. Ao lado, se encontra um longa sequência de casas com arcadas.

Dica: Nas arcadas cobertas, olhe com atenção aos pisos de mármore local e poderá encontrar fósseis de conchas de milhões e milhões de anos. Lembrando assim, que nas altas montanhas ao redor de Bassano, já foram fundos marinhos!

Mais adiante, é de se admirar a Loggia del Podestà, integrada ao edifício que hoje é a Câmara Municipal. Este, que remonta aos primeiros dias da dominação veneziana e tem um notável relógio do século XVIII na fachada do engenheiro mecânico Bartolomeo Ferracina, é decorado por dentro com os brasões com afrescos dos 120 podestàs venezianos ( aqueles que governaram a cidade).

Na praça lateral fica a Torre Cívica que domina todo o centro histórico. Em frente, a igreja romano-gótica de San Francesco, cuja fachada é caracterizada pelo belo afresco da Anunciação, atribuído a Battista da Vicenza e cujo interior severo mas evocativo é embelezado pelo imponente crucifixo de Guariento.

3. Museu Cívico

No ex-convento anexo encontra-se o Museu Cívico, um dos mais antigos museus cívicos do Véneto, que oferece uma galeria de arte com mais de 500 obras do século XIII ao século XX, incluindo numerosas pinturas de Jacopo da Ponte e a sua oficina; Imprescindível para os admiradores de Antonio Canova, a quem é dedicada uma interessante seção, o museu abriga uma coleção arqueológica, uma de gravuras antigas e modernas e uma extraordinária coleção de cerâmicas e joias da Magna Grécia (doação de Chini).

Piazza Garibaldi com a Torre Cívica – Foto Wikipedia Commons

4.   Torre Cívica

Ela foi construída no século 14 como espécie de proteção para a cidade. A ideia era avistar invasores e incêndios a partir dela, a fim de evitar a destruição da cidade. Visitantes podem subir nela, tendo a vista de toda a cidade.

Durante o século XVIII a torre foi equipada com um relógio. Certamente a torre destaca-se de forma particular de todos os outros edifícios históricos da cidade pela sua centralidade no traçado urbano e pelo facto de a dominar pela sua altura (43 metros). Após uma recente e importante restauração, foi reaberto ao público, e hoje é possível visita-la, e ter essa maravilhosa vista da cidade do alto. O ingresso custa 3 euros e a visita é guiada em italiano. Verifique no local os horários de visita, pois dependem do período do ano.

5.   Ponte Vecchio

Não tem discussão. O Ponte Vecchio é, de fato, o principal símbolo arquitetônico da cidade e também o ponto mais visitado de Bassano.

A ponte passa por cima do rio Brenta, em seu ponto mais estreito, e fotos maravilhosas podem ser feitas por lá.

Construída em madeira, a ponte é um símbolo de resistência. Os primeiros vestígios da ponte Bassano datam de 1124 e 1209. Durante este tempo foi necessária a construção de uma ponte que ligava as duas margens do Brenta por razões económicas, sociais e militares. Ao longo dos séculos foi danificado e destruído várias vezes pelas águas do rio e pelos homens. Em 1531 foi reconstruído em madeira e foi destruído por uma enchente em 1567, o projeto da ponte seguinte foi confiado a Andrea Palladio. A ponte resistiu até meados do século XVIII, mas foi outra vez destruída pelo rio. Durante a enchente de 1966, foi danificada e nos anos seguintes foi desmontada e reforçada.

Por isso esta ponte é o maior símbolo de resistência de Bassano, mesmo depois de todas as inundações e danos causados por chuvas, guerras e batalhas, ela mantém a sua estrutura, conservada pelos projetos de reconstrução e preservação.

6.   Museu dos Alpinos

Aproveitando a passagem pela ponte, uma boa dica é o Museu dos Alpinos (Museo degli Alpini). O local histórico possui documentos e artefatos antigos da Primeira e Segunda Guerra.

7.   Grapperia Nardini

Um dos lugares ícones da cidade, a Grapperia Nardini é a mais famosa fábrica de grappa de Bassano. A sua loja está sempre lotada, e o movimento nas ruas do centro acabam indicando onde ela está localizada.

Com diversas grappas para degustação, vai ser difícil não se apaixonar pela bebida italiana. Mais difícil ainda sair sem comprar nada. Mas, esteja atento! Para visitar a destilaria e conhecer a produção, é preciso agendar um horário com antecedência.

8.   Villa Ca’Erizzo Luca

A Villa Ca’Erizzo Luca é uma residência antiga que pertenceu à Cruz Vermelha norte-americana. Entre seus voluntários, participou Ernest Hemingway, o lendário escritor, famoso por grandes obras como “O velho e o mar” e “Adeus às armas”.

Por isso, foi erguido, no local, o Museu Hemingway. Junto a ele, também o Museu da Grande Guerra. Enquanto o primeiro celebra a trajetória do escritor, relembrando seus principais feitos em vida, o segundo abriga várias salas de exposição que contam a história da participação dos Estados Unidos na Primeira Guerra Mundial.

9.   Museu da Grappa

Estando na cidade da grappa, é natural que você queira visitar o museu dedicado à bebida. Localizado praticamente ao lado do Ponte Vecchio, o Museu da Grappa detalha a destilação da grappa por meio de um tour por sua história.

O local pertence a uma destilaria que produz grappa há mais de três gerações. A bebida é obtida a partir de resíduos do bagaço de uva – não só das cascas, mas também de seus engaços e sementes. Mas sua origem é interessante, pois foi usada até mesmo como desinfetante durante a guerra!

O museu oferece aos visitantes a maior coleção de Grappa da Itália, com mais de 1.500 garrafas de mais de 323 destilarias.  Ainda existem várias reconstruções de artefatos que serviam para a destilação e graças aos documentos e gravuras é possível conhecer seu processo e reconstruir a história do produto. Curioso é a sala onde os visitantes podem sentir o aroma das variedades resultantes dessa extração.

10 .Viale dei Martiri

A vista do Viale dei Martiri, no Parco Ragazzo del 99, circundado pelas montanhas é imperdível. Essa avenida entretanto, é chamada assim por um triste motivo. Em 26 de setembro de 1944, 31 soldados foram executados ao longo dessa avenida pelo exército alemão.

E para cada árvore plantada na avenida, se recorda um soldado morto com o nome. Outra curiosidade é que as árvores são sempre cortadas de forma semicircular, para lembrar o capacete dos soldados.

Mas, afinal o que é a tal grappa?

A grappa (ou graspa) é uma bebida que nós, brasileiros, podemos associar à cachaça. No entanto, ela é produzida a partir da fermentação do bagaço da uva. Ela é muito antiga e sofreu um pouco para se popularizar, já que era vista como algo inferior.

Hoje, existe uma série de grappas disponíveis, produzidas a partir da mistura do bagaço de diferentes tipos de uvas, ou ainda, aquelas feitas com apenas um tipo de uva. Além disso, assim como o vinho, o tempo de envelhecimento e a forma como ela é destilada interferem em sua coloração, aroma e sabor.

Segundo registros históricos, a grappa foi feita pela primeira vez em Bassano, e era consumida principalmente por camponeses pobres da região. A história da bebida começa a se refinar com Giannola Nonino, que investiu na imagem da bebida, com garrafas mais bonitas, tornando a aguardente cada vez mais popular e respeitada no país.

Onde tirar as melhores fotos de Bassano?

            Para os amantes da fotografia, ou ainda para aqueles que almejam muitos likes no Instagram, há alguns pontos perfeitos em Bassano para conseguir cliques de tirar o fôlego.

  • O primeiro é Belvedere, que fica na Via Macello. Lá, é um ponto onde você consegue a vista completa do Ponte Vecchio.
  • Já o Jardim do Palazzo Strum possui um lindo terraço, e fica de frente à sede do Museu da Cerâmica, e possui uma vista maravilhosa! Vale a visita.
  • Um dos lugares mais românticos de Bassano é uma rua muito pequena, localizada entre as casas antigas adjacentes ao ponte. Portanto saindo da Ponte em direção a Via G. Volpato, você vai encontrar à direita uma viela bem pequena, pois entre nela, dava a um dos antigos cais da cidade, e terá uma bela vista da ponte.
  • Caminhe ao longo da Piazza Terraglio, em direção oeste, em seu lado mais extremo em direção ao rio Brenta. De lá você terá um vislumbre da Ponte de Bassano e do edifício em torno a ela. Uma dica para quem quer fotografar o panorama daqui é fazê-lo de manha cedo ou no pôr do sol, pois a tarde o sol fica bem na frente!
  • outro lugar imperdível é claro, a Torre cívica, porque a vista é 360° da cidade
  • uma outra vista da ponte boa é na via Pusteria, perto de Ca’Brando. Ou seja, ao sair da ponte, vá a direção oeste, passando a Grapperia Nardi à direita, pegue a primeira estrada à esquerda (vis Pusteria) por 100 metros. Á sua esquerda estará a vista do rio e da ponte. Melhor hora é no início da manhã ou no pôr do sol.

🏷 Guia Prático

Entre delícias gastronômicas e uma viagem pela história de uma cidade milenar, recomendamos que você faça a viagem com um guia turístico. Ele poderá te mostrar os segredos e melhores locais para desbravar a cidade. Conheça os nossos serviços! Além disso, ainda possuímos serviços de transporte com motorista por toda a região de Vêneto.

Como irCidades próximasOnde comerMAPA
  • De Carro: As maiores cidades nas redondezas de Bassano são Veneza e Vicenza. Enquanto Veneza dista cerca de 90km de Bassano del Grappa, e você deverá pegar a estrada A4 (com saída a Padova Oeste), Vicenza está a 32km de distância, e te indica a estrada A31 (com saída a Dueville).
  • De avião: o aeroporto mais facilmente conectado à cidade é o de Veneza Marco Polo: daqui pode-se tomar o trem que o leva a Bassano del Grappa em pouco mais de duas horas. Preços a partir de € 12,00 até € 35,00 por pessoa em cada sentido.
  • De trem :a cidade é conectada com Veneza, Trento e Pádua por trens regionais diretos, em viagens que levam cerca de 1h30. A estação Bassano del Grappa está a 900 metros do centro histórico, a poucos passos.
  • De ônibus: Bassano tem uma estação de ônibus localizada na Piazzale Trento, de onde chegam e partem ônibus dos mais diferentes destinos. Aqui, vale a pena se você quiser chegar em Bassano a partir de Vicenza.
  • Onde estacionar: Bassano del Grappa possui pelo menos sete vagas de estacionamento, imediatamente no limite do centro histórico. Muitos deles são grátis; para quem paga, a tarifa começa a partir de € 1,00 por hora. Estando maioritariamente perto das zonas pedonais, é possível chegar ao centro directamente a pé. Gostaríamos de destacar o estacionamento Le Piazze (viale delle Fosse 41 – como chegar), o estacionamento Il Ponte (Piazzale Luigi Cadorna – como chegar). O estacionamento gratuito também está disponível na via Volpato 3

Locomovendo-se: a melhor forma de locomover-se pela cidade é sem dúvida a pé, pois as atrações e áreas de interesse estão todas muito próximas e, além disso, há restrições de tráfego em algumas áreas da cidade.

O que ver nos arredores: Marostica (6km de distância, cerca de 10 minutos de carro), Asiago (30 km de distância, cerca de 34 minutos de carro), Breganze (15km de distância, cerca de 20 minutos de carro), Schio (37km de distância, cerca de 50 minutos de carro), Thiene (25 km de distância, cerca de 33 minutos de carro), Vicenza (33 km de distância, cerca de 41 minutos de carro)
Ulteriori informazioni su questo testo di originePer avere ulteriori informazioni sulla traduzione è necessario il testo di origine

Para além de experimentar as grappa como bebida, você não pode ir a Bassano sem comer os aspargos brancos. Típicos da região, eles receberam a classificação de DOP (Denominação de origem protegida), legislação da União Europeia que visa proteger e valorizar a gastronomia regional. Uma dica é pedi-los acompanhando um risotto!

3 dicas de locais:

  • Mozart Bistrò: via Jacopo Vittorelli 63
  • Trattoria El Piron:via Zaccaria Bricito 12
  • Premiata Fabbrica Pizza: via Angarano 5

Sobre Deyse RibeiroSou Deyse Ribeiro, nasci em Minas Gerais, e vivo na Itália há 14 anos. Sou especialista em turismo na Itália, onde adquiri experiência atuando desde 2011 como guia de turismo, criadora de conteúdo sobre turismo e empresária no ramo. Abri minha primeira empresa em 2017, e ofereço serviços, tours, transfers e experiências únicas na Itália, através do Portal TourNaItália.com - uma boutique de experiências diferente de tudo o que você já viu!

1 comentário em “O que fazer em Bassano del Grappa, a cidade da grappa”

  1. Pingback: Grappa e sua história - Vinho Italiano

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.