Portal Tour na Itália: turismo, cultura, tours, serviços e experiências!

Cittadella e sua muralha preservada

Para além de conhecer as principais cidades italianas, que tal uma aventura pelas menores cidades pequenas e pitorescas? Selecionamos motivos e razões que te deixarão encantado com Cittadella, na região do Vêneto, com sua muralha preservada.

Introdução

Seu sonho é fazer um tour na Itália? A pequena Cittadella é uma ótima opção para acrescentar em sua lista de cidades para conhecer.

Quando pensamos em turismo na Itália, a Cittadella não costuma estar entre as opções dos brasileiros. No entanto, recomendamos que você considere acrescentar essa linda comuna em seu itinerário.

A Cittadella é uma das poucas cidades fortificadas da Europa a ter uma caminha medieval, totalmente elíptica e acessível. Como uma das riquezas de Vêneto, na província de Pádua, a pequena comuna conta com apenas 18 mil habitantes em seus confins.

Sem discussão, a grande atração da cidade são seus muros, garantindo, inclusive, o seu apelido. A “cidade murada” possui paredes que podem ser visitadas com uma caminhada panorâmica a 15 metros de altura. Esta é uma experiência única, que representa, literalmente, uma caminhada na história.

Mas, obviamente, como toda comuna italiana, a Cittadella também esconde outras belezas. Além dos muros, a cidade possui uma série de atrações culturais para conhecer, lugares para desbravar, ruas para se apaixonar e o que há de mais local em seus negócios, tornando o lugar extremamente encantador, no melhor estilo italiano.

Então, antes de montar o nosso itinerário e acrescentar os pontos turísticos em nossa lista, que tal passarmos pela história da cidade? Confira abaixo:

A história por trás da cidade muralha

A fundação de Cittadella remonta o ano de 1220, quando Pádua decidiu criar um lugar fortificado no centro da planície veneziana, a fim de proteger as fronteiras de seu condado. Além disso, eles pretendiam controlar os fidalgos e iniciar uma política de colonização agrária.

No entanto, foi constatada presença na região ainda antes, com a chegada dos romanos. Já no fim de seu domínio, o território passou para o controle dos longobardos, segundo os registros históricos mais confiáveis. Mas é difícil afirmar a história do território naqueles tempos.

Acredita-se, também, que o ambiente foi despovoado depois dos romanos, tornando-se um lugar selvagem, rural e abandonado. Enquanto isso, desenvolveram-se poderes feudais em cidades menores ao seu redor, como Onara, Fontaniva e Tombolo.

Então, entre os séculos 12 e 13, Pádua, em seu impulso expansionista, entre em conflito com cidades vizinhas e a região central do rio Brenta se vê em um palco de conflitos. É nesse contexto turbulento que Cittadella começa o seu estabelecimento.

Depois de sofrer dominações e invasões, a pequena comuna italiana se torna a capital do território padovano. Já em 1406, passa a ser controlada por Veneza; em 1797, Napoleão conquista todo o território setentrional; em 1815, Vêneto fica sob controle austríaco até que finalmente é unificado junto ao reino da Itália em 1866.

Hoje, a Cittadella é uma pequena comuna na província de Pádua, na região de Vêneto, com cerca de 20 mil habitantes. Como uma estonteante cidade murada de origem medieval, a poucos quilômetros de importantes centros de arte, como Vicenza e Treviso, ela se tornou um local que vale a pena conhecer. Quer saber mais sobre os pontos para visitar? Fizemos uma seleção de lugares imperdíveis na cidade abaixo:

DICA:

Como primeira coisa, visite o Ponto de turismo (IAT) da cidade e compre o bilhete para o “Caminamento de Ronda” da muralha. Considere o percurso médio de 30/45min. Comece esta aventura visitando o corredor com afrescos da Casa do Capitão, o Museu Medieval e Renascentista e, em seguida, entre no percurso da muralha.

 

Cittadella: 13 pontos para ver na cidade

1.   As muralhas

As muralhas  de Cittadella são um dos poucos exemplos do sistema de defesa com caminhos que ainda são percorríveis. Elas estão completamente preservadas no tempo, e praticamente intactas. Hoje, elas são consideradas um dos sistemas de defesa mais bonitos da Europa.

Com certeza, esse será seu primeiro ponto de partida para visita da cidade. Compre o ingresso do “caminho de ronda”, ou camminamento di ronda em italiano. Que era o caminho de segurança que os guardas faziam para proteger a cidade.

As muralhas tem uma altura média de 14 metros, mas as torres podem bater até 30 metros. Curiosamente, as muralhas possuem mais de 2 metros de espessura, e para sustentá-las, forram feitos aterros apoiados dentro e fora das muralhas, obtidos de materiais recuperados de valas.

Em torno das muralhas, corre águas de uma fossa, que, tempos atrás, tinha uma profundidade que permitia a vida de muitos peixes. A sua profundidade, na época, representava o dobro da atual.

As muralhas eram usadas como defesa militar de Cittadella. Durante as guerras, na fortaleza medieval, pontes levadiças ocupavam o espaço das atuais pontes de tijolos.

Com uma restauração recente, também foi instaurada maior segurança no caminho entre os muros. Assim, a renovação permitiu aos visitantes contemplar a cidade de pontos de vista inéditos e privilegiados.

Sem dúvidas, as muralhas são a atração de Cittadella e o maior motivo pelo qual os visitantes querem garantir um passeio na cidade italiana.

Ao entrar na muralha, é possível visitar a Casa del Capitano (capitão), onde se encontram obras e instalações sobre a vida dentro da muralha no século XIV, além de armaduras e outras curiosidades que valem a visita (incluído no preço do ingresso da muralha).

2.   Torre di Malta e o Museu Arqueológico

Ao longo da caminhada na muralha, após a Casa del Capitano, você vai encontrar o terraço panorâmico da Torre Malta, perto da Porta Padova, que hoje abriga o Museu Arqueológico e Cívico da cidade. Ah, a visita deste museu é gratuita, pois é incluída no preço do ingresso. O Museu possui uma coleção de achados arqueológicos que vão desde a Idade do Bronze até o Renascimento.

A Torre de Malta foi construída no século 13 por Ezzelino II da Tomano, o despótico dominador da região, que usou o prédio como prisão para os seus inimigos.

Por isso, a fortaleza ganhou essa triste reputação. No edifício, foram cometidas uma série de atrocidades, tanto que Dante Alighieri cita o local em “Divina Comédia”.

No final da caminhada pelas muralhas da cidade, sugiro que você visite o centro histórico e descubra as jóias escondidas nesta cidadezinha.

3.   Porta Bassanese

A Porta Bassanese, também chamada de Porta Bassano, é o ponto mais fortificado e importante da muralha de contorno. Era a máxima defesa da comunidade, e por isso é a mais isolada de todas, com uma fossa interna engenhosamente ligada a fossas externas. Do alto de sua torre, que possui 30 metros de altura, uma vista maravilhosa de seu entorno.

4.   Duomo di Citadella

O Duomo foi realizado no estilo neoclássico entre 1776 e 1826, mas a fachada foi completada somente em 1913. É fácil reconhece-lo com sua elegante fachada branca com a inscrição em latim “Domus Dei et Porta Coeli” ( Casa de Deus e porta do céu). O edifício religioso foi consagrado aos Santos Donato e Prosdocimo.

Na Torre do sino do Duomo fica o Museu de Arte Sacra, cheio de objetos religiosos.

5.   Palazzo Pretorio

A poucos metros do Duomo fica o Palazzo Pretorio, um dos edifícios históricos mais importantes da cidade.  Interessante é o portal de entrada em mármore rosa, caracterizado por um relevo com Leão “marciano”, e por dois medalhões com retratos de Pandolfo Malatesta e seu irmão Carlos que foram os senhores de Cittadella. O edifício, recentemente restaurado, é hoje a sede da fundação Pretorio Onlus, que organiza ao seu interno exposições de caráter nacional.

6.   Igreja de Santa Maria del Torresino

A igreja encostada nas muralhas, perto da Porta Padova, leva o nome de “torresino” (torre pequena), por ter uma torre campanária encostada em seu edifício. No seu interior, quadros, altares e arquiteturas medievais.

7. Fosso da cidade

Passear pela cidade de Cittadella de uma perspectiva diferente é possível aos domingos, quando há possibilidade de alugar um barco a remo ou à motor e fazer um passeio tranquilo em torno ao riozinho que forma o foço ao redor da muralha, o giro dura em média 40 min. Procure informações no ponto de informação turística da cidade (IAT), os passeios são disponíveis da pásqua ate outubro, mas somente aos domingos.

8.   Villa Ca’ Nave e L’Oratorio del Salvatore

Saindo da Porta Padova, siga em direção à Villa conhecida por todos de Ca’Nave, onde além de ser uma vila naopaladiana, ela ainda tem uma fascinante capela dedicada ao Salavador.

Pouco depois de receber um título de nobreza, Bernardo Nave reestruturou a sua casa dominical, adicionando ainda a construção de uma capela mausoléu. A instalação de uma fachada neopalladiana de pedra branca e um mármore de Verona.

Os afrescos são assinados pelo pintor francês Louis Dorigny, enquanto os mármores e os bustos ficaram a cargo do flamengo Giusto Le Court. A qualidade dos desenhos impressionam e a arquitetura pode, de certo, arrancar suspiros dos visitantes.

9.   Convento de São Francisco

Retornando da Villa, em direção à Porta Treviso, a menos de 300 metros, você encontra ao Convento de San Francesco.

O convento dos padres franciscanos foi construído por volta de 1481. A Igreja dispões de três altares, afrescos, túmulos de famílias importantes e segue até hoje como um centro espiritual muito ativo.

No convento, estão conversados alguns afrescos de artistas venezianos do século 18. Entre as pinturas, destaque para “Madonna con il Bambino tra i Santi Francesco e Antonio da Padova”, de Francesco Savanni e Pietro Avogadro.

10. Pieve di San Donato

A apenas 2 km do centro da cidade, ao longo da rodovia que leva à Pádua, a igreja paroquial de São Bastimal de São Donato.

Lugar sagrado, o templo se tornou a primeira igreja paroquial do território, mantendo as suas funções até 1376, quando perdeu a sua força em função do surgimento de outras dioceses.

O edifício medieval possui afrescos do século 14 para admirar e uma arquitetura impressionante. Vale a visita!

11. Igreja de Santa Lucia di Brenta

Essa igreja é um pequeno e solitário mosteiro, criada ainda antes do século 12. Praticamente abandonada desde a sua fundação, ela reaparece preciosamente decorada com afrescos de Jacopo da Ponte no século 16. Para se conectar com a espiritualidade e com a simplicidade de um prédio religioso antigo, vale a pena conhecer a igreja.

12. Porta Padovana

A Porta Padovana (também chamada de Porta Padova) era a entrada principal da cidade. Nas paredes exteriores, os afrescos de Carrares, bem como o emblema de Padova e a cruz vermelha com um fundo branco.

13. Teatro sociale

O teatro está localizada na rua que tem como direção a Porta Vicenza, na rua Indipendenza. Projetado por Giacomo Bauto, em 1817, a sua fachada neoclássica é atribuída a Giuseppe Japelli.

A instituição foi projetada com um átrio, uma sala semi-circular, três palcos e um fumódromo.

Os afrescos do teatro são apaixonantes, retratando flores, cupidos e figuras alegóricas. Todos eles foram coordenados pelo cenógrafo e pintor Francesco Bagnara, que também realizou a decoração do teatro “La Fenice”, de Veneza.

O que comer em Cittadella?

Na pequena comuna de Citttadella, o respeito pelas antigas tradições, e as raízes da culinária vêm da vida rural.

A polenta é o carro-chefe da região, em todas as suas versões, incluindo em sobremesas. O famoso bolo, chamado “A Cittadella de polenta”, é um doce típico de 1850.

Durante sua visita, aproveite para provar os pratos mais famosos de Cittadella e das cidades vizinhas, que são: risotto ricco alla padovana, risotto com aspargos Fontaniva, pasta com feijões, e o Cappone alla Canevera (prato tradicional de carne), e peixes frescos do rio Brenta.

Uma curiosidade, para um aperitivo diferente, escolha o Mesoevo, uma bebida inventada em Cittadella – leia nosso texto sobre ela aqui – que consiste no licor Strega, o Mezzo e Mezzo Nardini e folhas de hortelã. É de dar água na boca! Vai perder?

Parada para almoço na Taverna degli Artisti, que tinha entradas tão diferentes que eu decidi nem ir ao prato principal, degustei várias entradinhas. Este restaurante é famoso na cidade pelo seu licor, chamado “Latte di Gallina“, ou seja, leite de galinha, realizado com baunilha, laranja, e ingredientes secretos… delicia!!!!

Como conhecer Cittadella de maneira especial?

Para não perder detalhes importantes na linda comuna murada italiana, oferecemos passeios com um guia de turismo em português, que te apresentará os maiores segredos da região. Além disso, também temos serviços de transporte com motorista particular por toda a região do Vêneto, para que você não precise se preocupar com isso. Entre em contato e saiba mais!

Algumas informações importantes:

Como chegarIngressoPróximo a CittadellaMAPA

Como uma cidade interiorana, ela não dispõe de aeroportos. Então, para chegar lá, depende de onde você está partindo. Abaixo, mostramos as principais rotas. Confira:

  • De Carro: A cidade está localizada em uma posição estratégica e facilmente alcançada a partir de Pádua (km 29), Vicenza (km 22), Treviso (km 38) e Bassano del Grappa (km 14). Cittadella é atravessada pelas estradas Nacionale 47 e S.R. Postumia.
  • De Ônibus: Várias paradas de ônibus se encontram nas cintas muradas. A rota Vicenza-Treviso é gerida pela companhia La Marca, enquanto Pádua-Trento é controlada pela Sita.
  • De trem: O centro de Cittadella está a 5 minutos da estação de trem. As linhas ferroviárias que servem a cidade são: Padova-Bassano del Grappa e Vicenza-Treviso.
  • Onde estacionar:Meu conselho é deixar o carro no estacionamento da Porta Padovana, pois ali encontrará vários lugares de estacionamento, não deverá encontrar dificuldades para estacionar. Outra área de estacionamento você encontra nas imediações da Porta Bassano, que é onde começa o “Caminho de Ronda”

Ingresso: Muralha “camminamento di Ronda” + Museu = 5 euros

Do passado cittadellese, podemos conhecer a beleza arquitetônica de suas vilas, majestosos edifícios de proprietários de imensas terras agrícolas.

Vilas importantes localizadas nesse entorno são aquelas em Fonataniva (Villa Borromeo e Villa Gallarati-Scotti), em Onara, Galliera Veneta, San Giorgio e San Pietro.

Galeria de Fotos

Este slideshow necessita de JavaScript.

Pronto para conhecer o Vêneto? Entre delícias gastronômicas e uma viagem pela história de uma cidade milenar, recomendamos que você faça a viagem com um guia de turismo. Ele poderá te mostrar os segredos e melhores locais para desbravar a cidade. Conheça os nossos serviços! Além disso, ainda possuímos serviços de transporte com motorista por toda a região de Vêneto.

Sobre Deyse RibeiroSou Deyse Ribeiro, nasci em Minas Gerais, e vivo na Itália há 14 anos. Sou especialista em turismo na Itália, onde adquiri experiência atuando desde 2011 como guia de turismo, criadora de conteúdo sobre turismo e empresária no ramo. Abri minha primeira empresa em 2017, e ofereço serviços, tours, transfers e experiências únicas na Itália, através do Portal TourNaItália.com - uma boutique de experiências diferente de tudo o que você já viu!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.