Portal Tour na Itália: turismo, cultura, tours, serviços e experiências!

20 Curiosidades sobre Roma

Vamos conhecer as 20 curiosidades sobre Roma? Roma é uma das cidades mais antigas e famosas da Europa. Seja por seus quase três mil anos de história, por sua cultura ou beleza ímpar, Roma atrai milhares de turistas todos os anos.

É claro que, com tanto tempo de vida, a “Cidade Eterna”, como era chamada pelos poetas antigos, tem muita história para contar, e certamente, muitas curiosidades. Algumas são bem conhecidas, outras nem tanto.

Informações sobre Roma

  • Roma é a maior cidade do país, capital da Itália, da região do Lazio e da província onde está localizada;
  • Possui uma população de aproximadamente 2,8 milhões de pessoas, o que faz dela a quarta cidade mais populosa da União Europeia;
  • A cidade é cortada pelo Rio Tibre, que nasce na região da Emília-Romagna e deságua no Mar Tirreno. Com 392 quilômetros de extensão, e o terceiro maior rio da Itália;
  • Roma possui três locais considerados Património Mundial pela UNESCO: o Centro Histórico, o Vaticano, e a Basílica de São Paulo Extramuros
  • O clima de Roma é do tipo Mediterrânico, com invernos suaves e úmidos, e verões quentes e secos.

Uma breve história de Roma

A civilização romana é uma das mais influentes na história do Ocidente. Fundada em 753 a.C. como uma pequena cidade na região central do Lazio, iniciou uma expansão no século V a.C. que culminaria no surgimento de um dos maiores impérios já vistos, com duração até 476 d.C. Após o fim do império, a cidade entra em decadência, sendo invadida por povos germânicos, que durante séculos disputaram o poder com os bizantino. A cidade renasce como sede da Igreja Católica, e como aliada dos Francos, o que lhe garantiu uma posição privilegiada, e muitos territórios sob seu comando.

Ao longo da Idade Média, a Igreja Católica se firmou como um dos polos de poder no continente, tendo sua posição questionada apenas durante o século XIX, no contexto do Risorgimento, movimento que buscava unificar todas as regiões em uma Itália unificada. Em 1871, a cidade, juntamente com toda a região do Lazio foi incorporada ao recém criado Reino da Itália, com Roma se tornando a capital.

Não deixe de ler os textos:

20 curiosidades sobre Roma

1. A cidade das “sete colinas”

Roma foi fundada em 753 a.C., através da junção de pequenas vilas que viviam nas colinas às margens do rio Tibre. Essas sete colinas, ou montes, eram conhecidos na antiguidade como: Aventino, Capitolino, Celio, Esquilino, Palatino, Quirinal e Viminal. No Palatino estão os vestígios mais antigos de construções encontrados na cidade, e o monte Capitolino hoje está ocupado pelo Museu Capitolino, um dos mais importantes da cidade.

2. Os gladiadores eram verdadeiros popstars

A figura do gladiador é uma das mais emblemáticas da história romana. Esses homens, embora escravos em sua maioria, eram vistos por parte da sociedade romana como símbolos de virilidade e coragem.  Muitos se tornaram famosos, a ponto de conseguirem comprar sua liberdade, e há quem diga que o suor dos lutadores era coletado e vendido como afrodisíaco.

Outro mito a respeito dos gladiadores era o de que todas as lutas terminavam em morte para um deles. Na verdade, era o contrário, pois os proprietários de gladiadores investiam muito dinheiro no treinamento e alimentação do guerreiro, de forma que um gladiador morto muito rapidamente poderia levar seu dono à falência. Os combates até a morte só aconteciam em ocasiões especiais.

3. A cidade tem uma pirâmide

Caio Céstio foi um magistrado e político romano que teve uma ideia inusitada: queria ser enterrado em uma pirâmide, tal qual um faraó egípcio. Para isso mandou construir uma pirâmide, que foi concluída no ano 12 a.C.

A pirâmide tem 29,6 metros de base quadrada e 37 metros de altura, e foi redescoberta em 1660. Está localizado nas imediações da Porta San Paolo e está integrado no perímetro do cemitério não católico posterior, construído entre os séculos XVIII e XIX.

Via Apia

4. Todas as estradas levam a Roma

Essa famosa expressão retrata uma verdade, que pode ser comprovada ainda hoje. Em seu auge, Roma tinha mais de 85 mil quilômetros de estradas construídas, ligando a cidade a todas as partes do império. Ao longo das estradas, marcos miliários indicavam o nome do caminho, a direção em que o viajante seguia e a distância até a próxima cidade.

Muitos trechos dessas estradas ainda são utilizados até hoje, e foi graças a essas estradas que as tropas romanas conseguiam se mover de forma rápida por todo o território romano. Elas tiveram papel fundamental na expansão e manutenção do poder romano.

Julio Cesar

5. Rei de Roma ou Imperador de Roma?

Muitas pessoas se confundem com os rótulos com os quais os governantes romanos foram chamados. Isso se dá pelo fato de que Roma viveu diferentes momentos políticos ao longo de sua história. A história da cidade se divide em três períodos:

  • Monarquia: de 753 a 509 a.C  – governada por reis romanos e etruscos;
  • República romana: de 509 até 27.a.C.  – governada por dois cônsules escolhidos pelo Senado;
  • Império: de 27 a.C. até 476 d.C – governada por um imperador.
São Paulo

6. São Pedro e São Paulo

A história desses dois importantíssimos santos católicos está intimamente ligada à história de Roma. Eles pregaram a palavra de Cristo e foram mortos na cidade, e por isso, são considerados padroeiros de Roma.

Segundo a tradição, Pedro, um dos apóstolos de Jesus, foi crucificado de cabeça para baixo, no local onde hoje é a Praça de São Pedro, sendo enterrado onde posteriormente foi construída a atual Basílica de São Pedro, no Vaticano.

São Paulo, por sua vez, também teria sido morto na mesma época, porém, por ter cidadania romana, o método utilizado em sua execução foi a decapitação, considerada mais amena por não causar sofrimento. No local onde ele teria sido enterrado foi erguida, tempos depois, uma capela, onde hoje está localizada a Basílica de São Paulo Extramuros. Além disso, a Chiesa dei Domine Quo Vadis marca o local onde, segundo a tradição, São Paulo teria visto Jesus Cristo.

7. A origem da palavra candidato

Na Roma antiga, os candidatos a uma vaga no Senado eram obrigados a se apresentar com uma toga cândida (do latim candidus = branco). A cor da roupa fazia alusão à pureza de intenções dos candidatos.

8. As casas romanas tinham aquecimento

Os engenheiros romano eram altamente sofisticados para sua época, resolvendo uma série de problemas do cotidiano de forma simples. Por exemplo, as casas romanas (pelo menos as casas dos ricos) possuíam um sistema de calefação para manter os proprietários aquecidos durante o inverno, chamado de “hipocausto”. O sistema funcionava da seguinte forma: o ar era aquecido por uma fornalha, e seguia por sob o pavimento, espalhando-se pela casa através de tijolos perfurados.

Esse mesmo sistema era utilizado para aquecer as piscinas das termas (banhos termais), muito comuns na época.

9. Uma fortuna na Fontana de Trevi

Um dos lugares mais visitados pelos turistas em Roma, a Fontana de Trevi, além de ser linda, o que por si só já é motivo para uma visita, também é marcada por uma tradição: todos que a visitam devem ficar de costas para a fonte, e jogar uma moeda por cima do ombro. Esse ato traz sorte, e garante que o visitante retorne um dia para a cidade. Se funciona ou não, não sabemos, mas o fato é que essa tradição gera uma pequena fortuna para a cidade. Todos os anos, algo em torno de 1,5 milhão de euros é retirado da fonte, graças às moedinhas atiradas pelos turistas. O dinheiro é revertido para obras de caridade.

Foto: Wikipedia Commons – Di DonZaucker – Opera propria, CC BY-SA 4.0,

10. Alimentada por um aqueduto romano

As águas que alimentam a Fontana de Trevi são trazidas pelo Acqua Vergine, um aqueduto construído no ano 19 d.C. por Marco Agripa, um dos homens de confiança do Imperador Augusto. Ele foi destruído durante as invasões dos Ostrogodos no século V, e restaurado posteriormente no século VIII, sendo utilizado até os dias de hoje.

11. Uma cripta decorada com ossos

A Chiesa di Santa Maria della Concezione é uma igreja do século XVII, cuja cripta é famosa por conter os ossos de mais de 4 mil frades capuchinhos sepultados no local. A prática teve início logo após a inauguração da igreja, em 1631, quando os frades que estavam enterrados em um convento localizado na Via dei Lucchesi foram levados para lá. A partir daí, todos os frades foram sepultados na igreja até 1870, quando a prática foi proibida. Para deixar tudo ainda mais tétrico, uma das capelas exibe uma placa com os seguintes dizeres: “O que você é hoje, nós já fomos; o que nós somos hoje, você será”.

12. Um país dentro da cidade

O Vaticano é considerado o menor estado do mundo, com menos de 1 km² e uma população de aproximadamente 1.000 pessoas. A Sede da Igreja Católica e morada oficial do papa, a cidade-Estado recebe milhares de visitantes todos os anos, e está inteiramente dentro dos limites de Roma. Para entender o fato, é preciso recuar no tempo até os chamados Estados Papais, terras que pertenciam à igreja e que foram doadas, em sua maioria, por Pepino, rei dos Francos, no século VIII. Esses territórios foram paulatinamente sendo perdidos, restando apenas o território atual, que foi garantido através do Tratado de Latrão, assinado em 1929 por Benito Mussolini e que garante o Vaticano como um estado independente dentro da Itália.

13. A cidade dos gatos

Roma também é conhecida como a ”cidade dos gatos”. De fato, a presença desses animais remonta ao período antigo da cidade, quando sua presença era bem vinda pois eles impediam a proliferação dos ratos.Até hoje é comum encontrar muitos gatos pelas ruas, e uma lei da década de 90 impede que esses animais sofram maus tratos. A região da Torre Argentina, onde estão vestígios arqueológicos do antigo Teatro de Pompeu (local apontado pelos historiadores como o local onde Júlio César foi morto) é onde sua presença é mais notada, inclusive, lá existe uma associação que os alimenta e providencia sua adoção.

14. Roma tem quase mil igrejas

Com tanta história, e sobretudo, uma história ligada ao surgimento e desenvolvimento da religião católica, é comum que a cidade tenha tantas igrejas. Mas o número impressiona a qualquer um: a cidade tem mais de 900 igrejas em funcionamento.

Foto: Wikipedia Commons – Di Giuletto86, CC BY-SA 3.0,

15. Tiros de canhão para marcar o meio-dia

Estamos acostumados com o badalar dos sinos das igrejas para marcar o tempo, mas em Roma existe uma outra forma de indicar o meio-dia. Desde 1847, por ordem do Papa Pio IX, um canhão posicionado no Gianicolo, uma das belas e panorâmicas colinas da cidade, dispara exatamente ao meio-dia. O disparo é executado por oficiais do exército italiano e, com exceção dos períodos em que ocorreram as duas guerras mundiais, tem sido executado todos os dias desde então.

quadro de Roberto Bompiani, conservato no Getty Museum.

16. Pratos de gosto duvidoso

Na antiguidade os romanos gostavam de pratos um tanto quanto estranhos, como língua de flamingo, fígado de peixes, cérebros de faisão e vísceras de lampreia. Sem esquecer do famoso garum, um molho feito a base de sangue, vísceras, e pedaços de vários peixes esmagados. Tudo era misturado e deixado em salmoura por cerca de dois meses.

Museu de História de Valência, Public domain, via Wikimedia Commons

17. E hábitos também

Entre os hábitos estranhos que os antigos romanos tinham, está o de utilizar urina para limpar as roupas, por conta da amônia, e, acredite, para clarear os dentes.

Via Niccolò Piccolomini

18. Ilusão de ótica

Caminhando pela Via Niccolò Piccolomini e olhando na direção do mirante no final da rua, é possível ver a cúpula da Basílica de São Pedro.

Repare que, à medida que você se aproxima do final da rua, você tem a impressão de que a cúpula está mais distante, ao invés de se aproximar. Quando você se afasta do mirante, a cúpula parece se aproximar de você. É uma ilusão de ótica interessante, provocada pela sua posição em relação aos outros edifícios. Quando estiver em Roma, faça o teste, depois comente aqui o que achou.

Curiosidades sobre roma - Panteão
Panteão

19. O uso do concreto

Muitas estruturas romanas antigas como o Panteão, o Coliseu e o Fórum Romano ainda estão de pé graças ao desenvolvimento de cimento e concreto romanos. Os romanos começaram a construir com concreto há mais de 2.100 anos e usaram-no em toda a bacia do Mediterrâneo em tudo, desde aquedutos e edifícios a pontes e monumentos.

O concreto romano era consideravelmente mais fraco do que sua contraparte moderna, mas provou ser extremamente durável graças à sua receita única, que usava cal apagada e uma cinza vulcânica conhecida como pozolana para criar uma pasta pegajosa. Combinado com rochas vulcânicas chamadas tufo, este cimento antigo formou um concreto que poderia efetivamente resistir à decomposição química. A pozolana ajudou o concreto romano a endurecer rapidamente, mesmo quando submerso na água do mar, permitindo a construção de elaborados banhos, cais e portos.

20. SPQR

Este símbolo era utilizado nos estandartes das legiões romanas, em moedas e documentos públicos, e ainda hoje muitos edifícios públicos em Roma exibem essa sigla. Ela vem desde o período da República na Roma Antiga, e significa “Senatus Populus que Romanus”, que pode ser traduzida como “o Senado e o povo de Roma”, um lembrete constante de que Roma era feita não só pelos Senadores (que representavam a elite da cidade), mas também pelo povo.

Espero que tenha gostado do texto. E caso  pretenda viajar pela região do Lazio, temos várias opções de tours com guia em português por lá, veja aqui.

Sobre Deyse RibeiroSou Deyse Ribeiro, nasci em Minas Gerais, e vivo na Itália há 14 anos. Sou especialista em turismo na Itália, onde adquiri experiência atuando desde 2011 como guia de turismo, criadora de conteúdo sobre turismo e empresária no ramo. Abri minha primeira empresa em 2017, e ofereço serviços, tours, transfers e experiências únicas na Itália, através do Portal TourNaItália.com - uma boutique de experiências diferente de tudo o que você já viu!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.