Portal Tour na Itália: turismo, cultura, tours, serviços e experiências!

Castello di Santa Severa, um castelo perto de Roma

Vamos conhecer o Castello di Santa Severa, um castelo perto de Roma e que leva o nome da santa martirizada ali no II século.

É um Castelo na ponta da costa, é um lugar de incomparável beleza localizado a poucos quilômetros de Roma, a 30 minutos do Aeroporto de Fiumicino, e do Porto de Civitavecchia, a cerca de 15 minutos.

História

Localizada ao longo da costa do Tirreno ao norte de Roma, ela deve seu nome atual a jovem mártir cristã, Severa, que foi morta aqui em 5 de junho de 298 d.C. junto com seus irmãos, Calendino e Marco, sob o império de Diocleciano. A ela foi dedicada a Igreja Paleocristã, datada da segunda metade do século V ou das primeiras décadas do século VI, encontrada nos tempos modernos e atualmente visível, em parte, na Piazza della Rocca.

A cidade etrusca de Pirgy tornou-se a sede, na primeira metade do século III, de uma colônia romana (Castrum), cujos vestígios estão presentes nas paredes da fortificação. O lado voltado para o mar, por outro lado, só é visível nas caves da sala do “galpão”. A área ainda passa por uma metamorfose na era imperial, que de um ‘acampamento’ militar se transforma na residência de ricas famílias romanas que possuem luxuosas vilas à beira-mar. Sobre os vestígios das construções da época romana e tardia encontra-se um vasto cemitério, que foi inaugurado pelo menos a partir do século IX e, presumivelmente, utilizado até ao século XIII-XIV.

Castello di Santa Severa - Itália

A estrutura do castelo remonta ao século XIV. O complexo, de planta retangular com torres nas pontas, era cercado por um fosso e conectado por uma ponte de madeira à imponente fortificação cilíndrica, o “Maschio”, anteriormente chamada de “A Torre do Castelo”, que foi construída em meados de Século IX pelo Papa Leão X e que, depois de novas renovações, chegou até nós na sua estrutura dos séculos XVI-XVII.

A primeira documentação escrita do castelo remonta a 1068, ano em que o castelo e a igreja foram doados pelo conde de origem normanda, Gerardo di Galeria, à Abadia de Farfa que em 1130, sob o Papa Anacleto II, o doou por sua vez, aos confrades de São Paulo. Em 1482, o Papa Sisto IV doou-o à Ordem do Espírito Santo, que o possuiu durante quinhentos anos, até 1980.

Precisamente neste período, sob a égide de Santo Spirito, ganha vida o Borgo (entre os séculos XV e XVI) em que o brasão típico da Ordem está visível em todas as partes: a cruz patriarcal.

Em 1943, em plena Segunda Guerra Mundial, foi utilizado pelos alemães e os soldados desfrutaram de sua posição estratégica.

Tanto o castelo de Santa Severa quanto o sitio arqueológico de Pyrgi são considerados algumas das áreas históricas mais importantes ao longo da costa do mar Tirreno.

 Atualmente, o Castelo de Santa Severa é uma propriedade da região do Lazio (Lácio) e o seu interior é aberto ao público para visitas.

Castello di Santa Severa - Itália

O Castelo

O Castelo com a sua fortaleza, a Torre Sarracena, a vila medieval, as igrejas de Santa Maria Assunta di Santa Severa e Santa Lúcia, o Antiquário, o Museu do Mar, o Museu do território, fazem deste complexo museológico um lugar inestimável valor e prestígio.
Uma viagem de 3000 anos pela história e cultura das diferentes populações que se sucederam, cujos vestígios ainda hoje são visíveis e fazem do Castelo um pólo de atracção turística mas também uma referência do seu território.

O castelo ficou fechado por muitos anos, mas em 2017 abriu as portas novamente para turistas.

Tem um estacionamento de frente ao castelo e ao entrar pela porta arqueada, da acesso a pequena vila medieval que nasceu ao redor da fortaleza.

Essa vila é possível visitar mesmo sem ingresso, pois é uma área publica, e contem algumas lojinhas, livraria e um café. O ingresso serve para visitar os museus.

A visita

Já dentro do Borgo del Castello di Santa Severa, pode-se visitar o seguinte:

1. Museo del Mare e della Navigazione Antica

O primeiro é o Museu do Mar e da Navegação Antiga, que é um espaço que ilustra a historia da antiga Pyrgi, com salas de exposição que retratam as glorias da marinha fenícia, grega, etrusca e romana.

Estão expostas reconstruções e achados arqueológicos de navios etruscos e romanos encontrados não muito longe da costas, como algumas ânforas muito grandes, podendo conter até 2.500 litros, usadas para armazenar vinho.

São mais de 450 peças que induzem o visitante a descobrir e experimentar como era a vida milenar no mar. Única no seu gênero pelos temas tratados, pelas peças montadas e pela sala vivencial, permite uma viagem no tempo de mais de 5.000 anos em um ambiente costeiro particularmente sugestivo.

Visite também o pátio atrás do museu, onde você encontrará exposições de ânforas antigas encontradas na costa de Ladispoli. Esses espécimes quase cilíndricos eram chamados de dolia e eram usados ​​como recipientes para vinho do centro-sul da Itália.

Por fim, divirta-se com as sugestivas lojas de artesanato local que colorem os espaços do Castelo, onde poderá adquirir esplêndidas cerâmicas, objectos medievais e obras de arte de artistas locais que expõem no interior das muralhas.

Castello di Santa Severa - Itália

2. Antiquarium di Pyrgi e Area Archeologica

Logo depois fica o Antiquarium, um museu pequeno mais valioso que preserva achados importantes encontrados em mais de quarenta anos de escavação na área sagrada de Pyrgi.

Pyrgi, o porto da antiga Caere, da qual ficava a cerca de 13 km de distância, gozava de grande fama entre os etruscos também por seu santuário. As escavações efectuadas no sugestivo Castelo de S. Severa trouxeram à luz dois templos e outros locais religiosos. Na área arqueológica existe um pequeno antiquário que preserva os materiais importantes encontrados em mais de quarenta anos de escavações.

Cortile della Guardia

Entrando no borgo, à esquerda da sala do portal, encontra-se uma laje de mármore com a inscrição colocada em memória das restaurações realizadas pelo Pio Istituto del Santo Spirito entre 1961 e 1965. No pátio encontra-se uma pequena casa no à esquerda, talvez datando do século XVI, chamada Casa della Bambola.

À esquerda da casa abre o Cortile dei Trottatori (Pátio dos Trotadores) com materiais arquitetônicos antigos no canteiro de flores, incluindo uma epígrafe referente a uma mulher chamada Hilara, vinda de Roma e talvez da propriedade do castelo. Dentro do pátio estão o Museu do Território e o Centro de Visitantes da Reserva Natural Macchiatonda.

Castello di Santa Severa - Itália

 

3. Museo del Territorio

O Sr. Giulio é quem apresenta e introduz esse pequeno museu, ele explica a  história do trabalho agrícola e, acima de tudo, de sua vida. O museu é dividido em seções sobre o aspecto geológico do território, depoimentos paleontológicos, atividades de trabalho no campo da agricultura, extração de mineração e atividades artesanais.

Com paixão pela história e amor à sua terra, o Sr. Giulio conseguiu montar esse museu. Posso dizer que o mais interessante do museu é o Sr. Giulio 😁.

Cortile delle Barrozze

À direita do arco de Inocêncio XII abre-se a Cortile delle Barrozze, assim chamada a partir do nome dos vagões agrícolas que os estacionaram até os anos 1950. Ao cruzar a entrada, você encontrará um pequeno trecho de calçada romana realocada nos tempos modernos com pedras de calçada de Roma.

À direita da praça, um portão permite sair em direção ao mar, seguido por duas grandes mesas de travertino com um canal na extremidade para o ralo. Eles vêm da propriedade Cavaliere perto de Roma, onde eram usados ​​para a salga de queijos.

Castello di Santa Severa - Itália

Piazzale delle Due Chiese

É um grande pátio retangular com um canteiro de flores no centro, nas laterais, do qual duas seções de calçada romana foram reconstruídas nos tempos modernos. À direita, a praça é delimitada por duas igrejas, a Igreja de Santa Severa e a Igreja de Santa Lúcia, hoje servindo de batistério.

No fundo, por trás de uma grelha metálica, avista-se a praia de Santa Severa, junto a uma das antigas portas do castelo, fechada definitivamente na década de 1960.

Casa della Legnaia

Na cantina (uma espécie de sótão) da antiga Casa della Legnaia existe a única parte da parede poligonal visível hoje, que no século III aC. fechou o lado voltado para o mar do castro romano. As estruturas da igreja cristã primitiva, visíveis na Piazza della Rocca, se apoiavam no poderoso trecho de parede, descoberto em 1988, apoiado em grossas fundações de pedra, visíveis por cerca de 4 metros de altura.

Piazza della Rocca

Do pátio das Duas Igrejas através do antigo portão você entra na Piazza della Rocca onde em março de 2007 foi descoberta a igreja cristã primitiva de Santa Severa, hoje protegida por um dossel. A excepcional descoberta ocorreu na sequência da renovação do castelo e é uma das principais novidades históricas e arqueológicas do complexo monumental. Os dados históricos e arqueológicos são recolhidos no “Museu do Castelo de Santa Severa” instalado no interior da fortaleza.

4. Museo del Castello

Seguindo adiante, já para acessar o corpo principal do castelo, encontra-se o Museu do Castelo de Santa Severa, com artefatos e documentos que mostram como era a vida cotidiana no castelo.

5. Torre Saracena

Se estiver frio, não deixe de subir até a Torre Saracena. Para subir lá é preciso pagar um ingresso a parte de 3 euros, e a subida é feita junto a um funcionário do museu, em pequenos grupos.  No interior, existem três salas circulares sobrepostas ligadas por uma moderna escada em espiral. Do alto, você pode desfrutar de uma vista maravilhosa que se estende ao longo da costa de Fiumicino a Santa Marinella e para o interior por todo o castelo até as montanhas Tolfa e Cerveteri.

Se o vento estiver forte, tome cuidado com bolsa, celular e demais acessórios que estiverem com você. Há muitas escadas para subida, e não é indicado para quem tem problemas de mobilidade ou claustrofobia.

Castello di Santa Severa - Itália

Hospedagem

A grande novidade é que agora o castelo também é sede de um dos albergues (hostel) mais belos da Europa. O lugar está conquistando os turistas estrangeiros e a revista americana Time incluiu o Castello di Santa Severa entre os World´s Greatest Places, a lista dos 100 melhores lugares para se conhecer em 2019.

A estrutura foi inaugurada em 2018 no primeiro andar do edifício e inclui 14 quartos capazes de hospedarem até 42 pessoas. Já no térreo ficam uma sala de estar e a recepção. A iniciativa foi apresentada pelo presidente da região do Lácio, que sublinhou a importância da transformar o castelo em uma estrutura acessível para turistas e famílias que desejam conjugar férias na praia com uma imersão cultural.

Castello di Santa Severa - Itália
Foto: Pixabay

Vale muito a pena colocar o Castelo de Santa Severa em seu roteiro. Além de toda a história, a vista é linda mesmo se estiver chovendo. Para quem viajar no verão ainda pode aproveitar e ir à praia de Santa Severa, curtir o mar e aproveitar para ver o castelo.

🏷 Guia Prático

IngressosComo irMAPA

O Castelo de Santa Severa fica aberto de terça a domingo:
– de 25 de abril a 30 de setembro, das 10 às 19h
– outubro a novembro, das 10 às 15h
– de dezembro a fevereiro, das 10 às 14h
– março ao final de abril, das 10 às 15h. le ore 15

Ingresso: 8 euros por pessoa. Opção de acesso à torre + 3 euros

– De automóvel : para chegar à povoação de Santa Severa, seguir pela SS1 Aurelia até ao Km. 52.500 e depois, seguindo as indicações, virar em direcção ao mar, percorrer toda a Via del Castello até ao destino.

– De trem : com a TRENITALIA a parada mais próxima do Borgo é Santa Severa Nord. Da paragem do trem, para chegar ao castelo, é necessário caminhar cerca de 15 minutos na estrada. Alternativamente, você pode descer na parada de Santa Marinella e de lá pegar o transporte público para chegar ao Museu Cívico.

– de ônibus de Roma com COTRAL: Roma Cornelia-Civitavecchia, parada “Santa Severa/Castello”
– de ônibus do Porto de Civitavecchia, pode-se pegar a linha COTRAL de Porta Tarquinia e descer na estação S.Severa. O castelo fica a cerca de 10 minutos a pé.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Sobre Deyse RibeiroSou Deyse Ribeiro, nasci em Minas Gerais, e vivo na Itália há 14 anos. Sou especialista em turismo na Itália, onde adquiri experiência atuando desde 2011 como guia de turismo, criadora de conteúdo sobre turismo e empresária no ramo. Abri minha primeira empresa em 2017, e ofereço serviços, tours, transfers e experiências únicas na Itália, através do Portal TourNaItália.com - uma boutique de experiências diferente de tudo o que você já viu!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.