Portal Tour na Itália: turismo, cultura, tours, serviços e experiências!

Cremona, a cidade do torrone e do violino

Conheça Cremona, a cidade do Torrone e do violino, onde se respira música e se conhece um pouco do trabalho artesanal dos violeiros.

Introdução

Alguns meses atrás visitei Cremona, uma cidade no norte da Itália. Devo confessar que me surpreendi. Esperava uma cidade sim, ligada ao violino, mas não com uma patrimônio histórico tão vasto e de uma beleza arquitetônica incrível. Tive a sorte de visitar exatamente no dia da festa do Torrone, que descobri que nasceu justamente ali!

Cremona fica na região da Lombardia, na chamada Pianura Padana, ou seja na planície do Rio Pò e possui cerca de 72.000 habitantes. Fica a menos de 1 hora de Milão.

Música é o que se respira na cidade de Cremona, que é a capital cultural, da arte de fazer o violino, da construção de instrumentos de corda, e desde 2012 foi incluída na lista da UNESCO do patrimônio imaterial da humanidade. 

Cremona - Lombardia - Itália

Hoje existem 141 lojas especializadas: 93 Italianas (dos quais 71 Cremoneses) e 48 estrangeiras (incluindo 25 não-europeias). A excelência dos fabricantes de violinos Cremonese é favorecida pela concentração das muitas lojas e pela presença de coleções de instrumentos históricos e ferramentas: seu estudo promove a aquisição e aperfeiçoamento de competências.

É uma cidade de arte elegante, repleta de monumentos, teatros, palácios e igrejas magníficas.

Mas Cremona, na Itália, é sobretudo conhecida por ser a cidades dos três” T”: Torrazzo, torrone, tettone …. Torrazzo é o nome da famosa torre campanária da cidade, torrone é o doce, que segundo a lenda teria sido inventado ali, e tettone… bom… vou deixar a publicidade abaixo  faça a tradução pra mim, pois meu feminismo me impede!

Vamos ver o que são as principais coisas para ver e fazer na cidade.

Coisas para ver e fazer em Cremona

1. Piazza del Comune e seus edifícios

O centro histórico de Cremona tem como ponto principal a medieval Piazza del Comune, onde a história e a arquitetura medieval há vislumbres fascinantes.

Quando cheguei à praça, fiquei logo impressionada com a sua imponência. Vivo na Itália há 8 anos e pouco ouvi sobre as belezas de Cremona, portanto minhas expectativas eram baixas, mas não imaginava um espetáculo como esse. É realmente uma das praças mais bonitas da Itália e é cheia de monumentos medievais, tais como: o Duomo, o “Torrazzo”, o Batistero, o Plazzo Comunale e a Loggia dei Militi.

Esta praça é o ponto inicial da sua visita à cidade de Cremona, brilhante e acolhedora e muito frequentada em todas as horas do dia. A partir daqui pode começar a viagem para descobrir as belezas históricas e arquitectônicas, ao longo das belas ruas.

O palácio na frente ao duomo é o Palazzo del Comune. Ele tem a arquitetura típica dos palácios do governo da Idade Média. Ao seu interno há uma grande sala para as reuniões, a capela, e a Sala dos Violinos, a Sala do Conselho, hoje Sala della Consulta e a Sala dos Quadros.

Ainda na praça fica a Loggia dei Militi e sua história está intimamente ligada à Società dei Militi“, que incluía os habitantes mais ricos da cidade. Construído em 1292 é um exemplo interessante da arquitetura local. No portico é preservado o emblema de Cremona da era napoleônica, de um dos antigos portões medievais destruídos.

2. O Duomo e o Batistério

A Catedral de Santa Maria Assunta é uma igreja incrível, e onde que se reúnem  vários estilos, românico, gótico e barroco. A fachada destaca-se pela grande rosácea central e pelos detalhes que criam um interessante jogo de luz e sombra; o edifício contém vários afrescos e esculturas.

Ao lado do Duomo fica o batistério, uma obra-prima do período românico e de forma octogonal.

Dentro do Batisterio há o grande poço, um único bloco em amonite vermelho, realizado por Lorenzo Trotti (1531). Esta não é uma fonte, mas um poço onde, durante a vigília pascal, o bispo abençoava a água a ser distribuída nas paróquias.

Outras igrejas na cidade, menos conhecidas, mas que igualmente merecem ser visitadas são a Igreja de Santo Agostinho, San Sigismondo e Santos Egidio e Omobono.

3. O “Torrazzo”

Cremona - Lombardia - Itália

A torre de sino do Duomo, ou Torrazzo, tornou-se o símbolo da cidade. Com seus 111 metros de altura é a mais alta torre do sino na Europa. Possui 487 degraus e ai chegar ao cume é possível desfrutar de uma vista maravilhosa de Cremona. Na torre fica o maior relógio astronômico com engrenagens originais do século XVI.

4. Teatro Ponchielli

Este teatro é uma maravilha construída no século XVIII e é um dos teatros mais famosos da Itália. Também é conhecido pelas belas cenas com figuras pintadas no final do século XIX. O teatro é tão bem conhecido que em muitos concertos os ingressos se esgotam em pouquíssimo tempo!

5. Cremona e o violino

A liuteria tradicional Cremonese é uma antiga arte da construção de instrumentos de cordas: violinos, violas, violoncelos e contrabaixos. Os instrumentos de cordas podem ser feitos com métodos diferentes, mas aquele desenvolvido em Cremona é considerado o melhor do mundo.

A arte de fazer violino nasceu em Cremona no século XVI com Andrea Amati, e continuou com os fabricantes do violino de sua própria família, com o Guarneri, e com o mais importante de todos, Antonio Stradivari, no século XVIII.

Cremona foi inscrita na Lista Representativa do Patrimônio Imaterial da Humanidade. Um grande resultado para Cremona e seu território, e especialmente para todos aqueles que através de um trabalho muito exigente e meticuloso fizeram o prestígio e a tradição do violino cremonese e da liuteria cremonese, preservada e transmitida às gerações futuras, até o reconhecimento da UNESCO como patrimônio de toda a humanidade.

Este slideshow necessita de JavaScript.

A característica que distingue a arte de violino de Cremona está na capacidade e na sapiência de realizar a “forma” do instrumento de cordas, especialmente o violino, de acordo com os critérios de excelência estabelecidos pela criatividade e habilidade dos grandes mestres do passado, pois somente através de métodos manuais e do profundo conhecimento dos materiais e técnicas de um verdadeiro “artesanato manual”: um conhecimento transmitido ao longo dos séculos na relação direta entre professor e aluno, muitas vezes de pai para filho, e refinado, na prática, para se adaptar às respostas acústicas de cada peça, pois os instrumentos nunca serão iguais, cada um é diferente do outro, o som é diferente.

Ao longo dos séculos, a arte de construir instrumentos de corda caracterizou profundamente o perfil da cidade, definindo a sua identidade: o violino é agora um símbolo que universalmente leva ao nome de Cremona, e a associa a uma imagem de excelência cultural e artística deste instrumento.

Na cidade existem agora 141 lojas especializadas: 93 italianas, dos quais 71 de mestres Cremoneses, e 48 estrangeiros, incluindo 25 de professores de países não europeus; as “boteghe”, as oficinas artesanais, trabalham junto com a Scuola Internazionale di Liuteria, com a participação de cerca de 400 estudantes italianos e estrangeiros, que chegam na cidade de Stradivari para aprender o “método clássico Cremonese”.

Cremona se apresenta como uma precioso tesouro de arte, com testemunhos inigualáveis ​​de tradição e habilidade de projetistas engenhosos e artesãos competentes e pacientes. São esses os personagens que se encontram no trabalho diário que ocorre nestas oficinas, onde os luthiers, seguindo métodos tradicionais, conseguem produzir uma busca à perfeição.

Em Cremona é possível visitar diferentes “lugares da história do violino”, tais como:

7. A casa da família Stradivari:

Cremona - Lombardia - Itália

A casa e oficina de Antonio Stradivari fica no Corso Garibaldi 57. O edifício é de propriedade privada, que lembra o famoso fabricante de violinos com uma placa comemorativa externo. Hoje, no local existe uma Exposição permanente de violinos contemporâneos.

A exposição permanente fica na sede do primeiro andar da Casa Stradivari, pode ser visitada somente com reservas, uma oportunidade para músicos, estudantes de música, e entusiastas interessados no mundo da fabricação de violinos para conhecer, ver e tocar nossos instrumentos. Mais informações no final.

8. a Tomba de Stradivari

Cremona - Lombardia - Itália

Antonio Stradivari  morreu no dia 18 de dezembro de 1737 com a idade de 93 anos. Ele foi enterrado na Basílica de San Domenico, no túmulo da família, que ficava no interior da capela do Rosário. Em 1869, a igreja e o mosteiro adjacente foram destruídos porque estavam em perigo de desmoronamento e em seu lugar foram construídos os jardins públicos da Piazza Roma, onde uma cópia da placa memorial é preservada, recordando o local do seu sepultamento.

9. O Museu do Violino: onde há vários violinos Stradivari e você pode presenciar um concerto

Cremona - Lombardia - Itália

O Museu do violino fica no Palazzo dell’Arte que foi totalmente restaurado pela Fundação Arvedi. O museu, inaugurado em setembro de 2013, conta a origem e a história do violino, os sistemas de construção de instrumentos de cordas e as suas características técnicas e acústicas, a história das famílias mais importantes de fabricantes de violinos de Cremona, o impressionante e duradoura propagação do violino Cremonese no mondo.

O museu é moderno e muito bem organizado didaticamente, há um grande espaço para sentir o som  como se estivéssemos dentro de uma caixa acústica, e um grande auditório para apresentações em um verdadeiro concerto.

Cremona - Lombardia - Itália

Há nove salas onde, através de uma viagem, seguimos a história do violino cremonese:  1 As origens do violino, 2. a oficina do luthier, 3. a propagação do violino, 4. o violino Cremonese clássico 5. a arca do tesouro, 6. as descobertas de Stradivari, e o renascimento do violino, 8. o concurso de luteria trienal, e  9. os amigos de Stradivari. Não são permitidas fotos ao interno.

O auditório foi concebido para assegurar a melhor acústica do mundo. Ele tem um design único “emocional”,  cujo som foi estudado pelo engenheiro Yasuhisa Toyota. O incrível deste auditório  é o nível de  perfeição do som que este ato atingiu, que permite o seu uso como um estúdio de gravação.

O local é foi realizado com uma estrutura em lâminas de aço,  que desenha a sua forma, depois uma malha de metal que serve como base para o gesso, e revestido com madeira de bordo envernizado, para recordar a madeira usada para fazer violinos.

Sentir o som de um violino Stradivari ali é uma emoção indescritível, eu me emocionei muito, é uma verdadeira obra-prima!

Cremona - Lombardia - Itália

 10. A visita a uma “Bottega di liuteria”

Você pode visitar uma oficina de luteria. Eu visitei a Bottega del Violino de Philippe Devanneaux, que nos recebeu gentilmente, explicou porque o violino cremonese é tão famoso, seu método de fabricação, contou a sua história e o seu percurso como luthier. Foi muito interessante, vale a pena!

Cremona - Lombardia - Itália

Mais informações no final do texto.

Os produtos típicos alimentares

Cremona também é conhecida por seus produtos típicos e saborosos alimentos.

– O Torrone e outros doces

Cremona - Lombardia - Itália

 

Segundo a lenda antiga, o torrone criado para ser servido no casamento de Blanca Maria Visconti e Francesco Sforza, em 1441. O nome foi dado em homenagem à torre da cidade,  “Torrazzo” , e no passado ele era conhecido como “torrione” … daí o nome “torrone”. Desde então, é um doce muito conhecido na Itália, e é composto por  amêndoas cobertas com açúcar, clara de ovo e mel. Se você quiser conhecer o gosto original do torrone, você tem que conhecer o “Emporio Sperlari” na rua Solferino, 25 .

Imperdível na cidade é a Festa del Torrone (www.festadeltorronecremona.it ) organizada em novembro na Piazza Duomo e no jardim do Palácio Municipal.

Na festa tudo é realizado com torrone, como grandes violinos, carros, etc… é uma grande festa cheia de barracas e animação, música ao vivo e alegria. Eu participei no ano passado e recomendo!

Cremona - Lombardia - Itália

 

Outro conhecido na cidade são as tortas de frutas doces e Pan Cremona, um queijo macio doce coberto com o chocolate, você pode encontrar nas confeitarias históricas como na Pastelaria Lanfranchi  e na Pastelaria Duomo.

– A mostarda

A mostarda é um produto de sabor muito especial, ela é à base de frutas cristalizadas, com a adição de mostarda, e é servida com carnes e queijos para dar um gosto suavemente picante. O primeiro documento que se liga a mostarda em Cremona é uma receita em um livro impresso em Liège em 1604.

– Outros produtos típicos

Outros produtos incluem salsichas, como salsichões de alho, o “tortelli” são massas recheadas com amêndoas amargas, peixe do rio, e vinho como Lambrusco.

 

🏷 Guia Prático

Onde dormir?

Na minha visita à Cremona eu dormi no Hotel Impero, ótima localização e e bom custo benefício. Café da manhã delicioso.

Cremona - Lombardia - Itália

Onde comer?

Eu almocei em um local típico, o Strada del Gusto Cremonese, e adorei os pratos. No jantar fui a um restaurante mais moderno, o Chocabeck e adorei!

Algumas informações importantes:

Como irIngressosMAPA

Se chegar de carro, você tem que que pegar Autostrada 21 e sair em Cremona

Se você for viajar de trem:

  • há linhas diretas de Milão passando por Codogno
  • de Veneza, você tem que trocar em Brescia;
  • de Roma, você tem que tomar a linha Florença-Bolonha e em seguida, trocar em Fidenza para Cremona.
  • de Florença, você deve pegar a linha para Bolonha e trocar em Fidenza.

Se você chegar de avião, os aeroportos mais próximos são Milano Linate (80 km), Bergamo Orio al Serio (80 km), Parma G. Verdi (65 km).

Eu viajei até a cidade de trem, funciona bem, há boas ligações e a estação de trem fica muito perto da Piazza del Duomo, dá pra ir à pé.

Catedral:
Piazza del Comune, 2
tel. Curia 0372.495011 http://www.diocesidicremona.it http://www.cattedraledicremona.it  
horário: dias de semana 7:30 às 12:00 e das 15:30 às 19:00 e 7:30 às 12:30 – Feriados 15:00 até 19:00
visitas guiadas são suspensas durante as celebrações
Missas: 18:15; dias festivos  08:00 – 09:30 – 11:00-18:00

Torrazzo e Batistério
tel. Associazione Battistero 0372.495029
ragioneria@diocesidicremona.it
http://www.diocesidicremona.it 
Horário: 10:00 às 13:00 e 14:30 às 18:00, a subida termina 30 minutos antes do fechamento
fechado às segundas-feiras, Ano Novo, Páscoa, Assunção, Natal, e 31 de Dezembro
bilhete inteiro: € 5,00 Reduzido : € 4,00
entrada gratuita para as pessoas com deficiência e seus acompanhantes
bilhete combinado (Torrazzo, mosaicos, batisterio: inteiro € 6,00 – reduzido € 5,00

Casa Stradivari
Corso Garibaldi, 57
info:  https://casa-stradivari.com/
Para reservar enviar email para info@stradivariazioni.com ou ligar +39 3475976856

Museo del Violino
Palazzo dell’Arte Piazza Marconi 5
Tel (+39) 0372 801 801 Fax (+39) 0372 801 888
www.museodelviolino.org email: info@museodelviolino.org
Horário: Terça-feira – domingo, 10:00-18:00
fechado 01 de janeiro, 1 de Maio, 25 de dezembro
Ingresso: 10 euros, gratuito para crianças até aos 6 anos de idade
audiências sobre instrumentos históricos – reserva exigida de pelo menos 15 dias antes
Reservas: marketing@museodelviolino.org

Bottega del violino
Informações no site oficial.

Sobre Deyse RibeiroSou Deyse Ribeiro, nasci em Minas Gerais, e vivo na Itália há 14 anos. Sou especialista em turismo na Itália, onde adquiri experiência atuando desde 2011 como guia de turismo, criadora de conteúdo sobre turismo e empresária no ramo. Abri minha primeira empresa em 2017, e ofereço serviços, tours, transfers e experiências únicas na Itália, através do Portal TourNaItália.com - uma boutique de experiências diferente de tudo o que você já viu!

10 comentários em “Cremona, a cidade do torrone e do violino”

  1. rogerio martins

    ola Deyse tambem sou apaixonado pela arte e historia sou formado em artes mas estou a procura de uma ajuda sou descendente de italiano meu avõ nasceu em cremona so que veio para o brasil com 4 anos e predeu a certidao de nascimento vc tem uma ideia como conseguir em cremona pq mandei carta pra cremona e me pediram desculpas pq era dificil de achar pq a guerra queimou muitos cartorios obrigado aguard

    1. Rosane Pires

      Olá Rogerio, meu trisavô era de Cremona, consegui sua certidão através da Paroquia, levei dois anos para conseguir minha cidadania, este mês saiu a favor minha sentença!!!

  2. Com certeza vale a pena fazer uma visita nesse bela cidade , saborear uma deliciosa cremona e curtir um pouco da musica tocada com vioino. Parabens pelo artigo.

  3. ola Deyse Ribeiro meu nome e Alan estou em lisboa, gostaria de esta indo p cremona tratar da minha cidadania italia, escolhi cremona pq meus avos sao dai.
    poderia me passar algum contato qque posso tratar disso.
    obrigado desde ja.

  4. Cláudio Mesquita

    Querida Deyse,
    Passamos recentemente pela fabulosa Itália, e em cada cidade, uma maravilhosa surpresa nos aguardava!
    Aproveito para lhe agradecer pelas valiosas dicas de seu blog, que em muito ajudam os que querem se aventurar pela, cultura e gastronomia italianas!
    Também aproveito o ensejo, para lhe enviar um vídeo que fizemos de nossa filha cantando O Mio Babbino Caro, em uma das salas do interior do Castelo de Santo Ângelo em Roma.
    Ficaremos muito felizes, se puder compartilhar essa homenagem à amada Itália.
    Obrigado!
    Segue o link:
    https://youtu.be/184esgW9AiQ

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.