Portal Tour na Itália: turismo, cultura, tours, serviços e experiências!

10 lugares imperdíveis no Valle D’Aosta

A região do Valle d’Aosta é uma região fronteiriça, rica em belezas naturais e monumentos, testemunhas de uma história antiga e gloriosa. Preparamos uma lista de dez lugares imperdíveis no Valle D’Aosta, para que possa enfrentar esta nova aventura da melhor forma.

Valle d’Aosta é uma pequena região semi-autônoma do noroeste da Itália, que compartilha fronteiras internacionais com a França e a Suíça. A região pode ser bastante diferente do resto da Itália, principalmente em seu idioma: o Valle d’Aosta é oficialmente bilíngue entre italiano e francês, e os habitantes locais falam um dialeto de influência francesa.

Saiba mais curiosidades no texto – 19 Fatos sobre o Valle D’Aosta, a rainha dos Alpes

Castel Savoia – Foto: Wikipedia Commons

Seu roteiro no Vale de Aosta deve começar com um lugar de “conto de fadas”. É o Castel Savoia, o Castelo da Rainha Margherita de Sabóia, construído no final do século XIX na cidade de Gressoney-Saint-Jean, na localidade Belvedere. De particular interesse são as cinco torres pontiagudas que dão à estrutura sua aparência de “conto de fadas”.

CURIOSIDADES:
  • O relógio de sol: construído na fachada em 1922, traz as palavras de bons votos “Sit patriae aurea quaevis” – Todas as horas sejam douradas pela pátria. O desejo, infelizmente, não teria sido realizado pelos dramáticos acontecimentos que aconteceram na Itália naquele ano.
  • As cozinhas, situadas num edifício não muito longe do castelo, estão ligadas à sala de jantar por uma “decauville” subterrânea.
  • O jardim botânico, inaugurado em 1990, é constituído por canteiros rochosos com espécies botânicas típicas do ambiente alpino.
  • Outras dependências do castelo são a Villa Belvedere, originalmente usada como pousada e guarda real, e a pequena casa conhecida como Romitaggio Carducci, dedicada ao poeta que foi um devoto admirador e cantor da Rainha.

2. Castelo de Verrès: uma estrutura simples e poderosa

Continue seu roteiro em busca dos fascinantes Castelos do Valle d’Aosta: o próximo passo é o Castelo de Verrès, uma fortaleza militar construída no século XIV. O edifício tem uma estrutura “monovolume” característica, visto que se apresenta de fora como um bloco único e poderoso, sem qualquer decoração. Uma estrutura tão simples quanto poderosa!

Veja mais Castelos interessantes no Valle D’Aosta no texto – Roteiro pelo Valle d’Aosta e seus castelos

Foi completado por Ibleto de Challant em 1390. Em 1536, Renato de Challant renovou o Castelo como uma fortaleza, no entanto, quando ele morreu, o castelo foi desapropriado pelos Savóia. Os Challants tomaram posse da o local novamente em 1696, até que a linhagem da família terminou no início do século 19. Da porta de entrada principal é possível ir ao pátio quadrado do castelo, que é projetado em um anel em torno dos três pisos ligados através de um lance de degraus de pedra monumental com arcos. O local é aberto a vistas, onde é possível admirar a sala de armas, a cozinha, os quartos dos senhores, e refeitório com abóbadas de pedra. Todos os anos o castelo encena o carnaval histórico em Verrès, que recorda a história e lendas da épica Condessa Caterina de Challant.

Val Ferret

3. Em Val Ferret: em contato próximo com a natureza

Para os amantes da natureza que viajam ao Valle d’Aosta, uma visita a Val Ferret, ao norte de Courmayeur, é obrigatória. Você tem duas opções:

  • no inverno, você pode se divertir com as diversas estações de esqui disponíveis – leia Onde esquiar no Valle D’Aosta
  • no verão, porém, o local se transforma em uma fazenda ao ar livre, onde pastam inúmeras vacas com “leite precioso”. Por favor, experimente absolutamente o queijo fontina, um requintado queijo local. Saiba mais em Os produtos e pratos típicos do Valle d’Aosta
Forte di Bard

4. O Forte di Bard: a fortaleza dos Sabóia

Outro destino imperdível de seu passeio na região é o Forte di Bard, construído em uma fortaleza perto do rio Dora Baltea. O local era uma fortaleza, já na época de Teodorico, no século VI dC, edifício que foi totalmente reconstruído pelo Sabóia no século XIX. Hoje, após longas obras de restauração, a estrutura abriga vários museus. Veja o texto específico que temos sobre esta Fortaleza  –  Forte di Bard: uma das mais belas fortalezas da Itália

Parco Nazionale Gran Paradiso

5 – Parque Nacional Gran Paradiso: o parque mais antigo da Itália

Entre as muitas belezas naturais da região, o Parque Nacional Gran Paradiso certamente merece um lugar de destaque.

O Parque Nacional Gran Paradiso (Parco Nazionale Gran Paradiso) é uma área protegida localizada no Vale de Aosta e no Piemonte. Do lado do Vale de Aosta, você pode acessar o parque de Valle di Cogne Valsavarenche Valle di Rhêmes . Este é um mapa útil para visualizar como esses vales se estendem até o Gran Paradiso.

A história do primeiro parque nacional da Itália está ligada à proteção do íbex. Em meados do século 19, a população de íbex estava diminuindo rapidamente. Felizmente, o rei Vittorio Emanuele II declarou a região alpina uma reserva real de caça, protegendo assim a população da extinção. Em 1922, a reserva de caça foi doada ao Estado italiano, para a criação do Parque Nacional Gran Paradiso. Hoje, a população de íbex do parque continua a florescer. Enquanto você explora os vales do parque, fique de olho nos rebanhos de íbex.

Existem muitas maneiras de experimentar o Parque Nacional Gran Paradiso. No verão e no início do outono, você pode embarcar em caminhadas de um dia gratificante. No inverno, você pode praticar caminhada de raquete na neve e esqui cross-country. As oportunidades de escalada e ciclismo também são abundantes.

Falo sobre o Ibèx no texto – 19 Fatos sobre o Valle D’Aosta, a rainha dos Alpes

6. As Termas de Pré-Saint-Didier: uma cura milagrosa

As fontes termais de Pré-Saint-Didier já eram conhecidas dos antigos romanos; um primeiro spa foi construído no século XVII, mas a estrutura que vemos hoje foi construída apenas a partir do século XIX. As saudáveis ​​e benéficas águas, que jorram junto à famosa cascata do Orrido, serão uma autêntica cura para tudo e dar-lhe-ão forças para continuar a sua aventura! Saiba mais sobre as Termas no texto específico – Pré-Saint-Didier: piscinas quentes ao ar livre aos pés do Mont Blanc

7. Aosta, e sua origem romana

A capital e rainha indiscutível da região é Aosta, o baluarte da antiga civilização de Roma. Na verdade, a cidade é rica em vestígios arqueológicos que testemunham o seu passado glorioso, como o teatro, a ponte, o anfiteatro e sobretudo o Arco de Augusto. Mas também existem monumentos mais recentes como o Conjunto Românico de S.Orso e a Sé Catedral, construída a partir do século XI, símbolo da devoção religiosa da cidade. Veja o texto sobre a cidade de Aosta – O que ver em Aosta em um dia

By Steddie1970 – Own work, CC BY-SA 4.0, wikipedia Commons

8. No Mont Blanc: caminhando em torno do gelo perene

Uma viagem ao Valle d’Aosta é impensável sem uma visita completa ao majestoso Mont Blanc. Você tem duas opções. O primeiro é o chamado Mont Blanc Tour , que se estende por quase 170 quilômetros e atravessa a França e a Suíça. O segundo é um passeio no Skyway, o teleférico especial giratório que permitirá admirar o gelo perene da montanha colossal.

Courmayeur

9. Courmayeur

Courmayeur fica ao pé da cadeia do Mont Blanc em um anfiteatro verdejante cercado por pinhais, montanhas e geleiras. Mesmo sendo um destino internacionalmente conhecido, Courmayeur ainda mantém um autêntico ambiente alpino , que é perceptível tanto ao fazer compras no centro da cidade quanto ao passear nas aldeias que circundam o centro da cidade que chegam até o início do vale central, onde os riachos Veny e Ferret fluem no Dora Baltea.
A típica atmosfera alpina pode ser encontrada também nos hotéis de Courmayeur e nas outras estruturas de alojamento, desde hotéis luxuosos a cabanas de montanha, nos cafés históricos do centro da cidade e nos restaurantes nas encostas: na recepção de Courmayeur, as tradições e a arquitectura local são cuidadosamente monitorados.

O Santuário de Notre-Dame de Guérison

Se estiver visitando Courmayeur, não deixe de visitar o Santuário de Notre-Dame de Guérison, próximo ao Glaciar Brenva. O Santuário foi construído no século XIX para preservar uma estátua da Madonna venerada desde o século XVII, relíquia preservada em uma pequena capela posteriormente destruída pelo avanço da geleira. O lugar sagrado era muito querido pelo Papa João Paulo II e é um destino de peregrinação para “alpinistas milagrosos”.

La Salle

La Salle

La Salle é uma vila entre Courmayeur e Aosta. A base da cidade fica a 891 metros, enquanto o topo (Planaval) está situado a uns elevados 1762 metros. Recomendamos subir em ziguezague até a vila para ver o pôr do sol no Monte Bianco e nas montanhas ao redor. Você passará pela torre de Castello di Chatelard no caminho para cima. No verão, há um restaurante no Planaval, no topo da vila, que você pode visitar. É também o início da trilha para várias caminhadas.

10. Chamois

Chamois – Foto: Cervinia.it

Apelidada de “Pérola dos Alpes” com orgulho, Chamois se ergue no vale de Cervinia a mais de 1800 metros acima do nível do mar. A pequena e preciosa vila alpina pode ser visitada de teleférico, a pé ou de bicicleta: veículos poluentes não são permitidos e isso torna ainda mais fascinante e autêntico.

Gostou das nossa opções? Tem mais alguma dica de local imperdível? escreve pra gente ai embaixo e vamos troca figurinha!
Sobre Deyse RibeiroSou Deyse Ribeiro, nasci em Minas Gerais, e vivo na Itália há 14 anos. Sou especialista em turismo na Itália, onde adquiri experiência atuando desde 2011 como guia de turismo, criadora de conteúdo sobre turismo e empresária no ramo. Abri minha primeira empresa em 2017, e ofereço serviços, tours, transfers e experiências únicas na Itália, através do Portal TourNaItália.com - uma boutique de experiências diferente de tudo o que você já viu!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.