Portal Tour na Itália: turismo, cultura, tours, serviços e experiências!

Roteiro pelo Valle d’Aosta e seus castelos

Muitos brasileiros não conhecem este região da Itália, mas o Vale D’Aosta possui vários Castelos maravilhosos e muitos deles abertos a visitas no inverno e no verão. Vou dividir com vocês o meu – roteiro pelo Valle d’Aosta e seus castelos – que eu fiz pelos castelos em 2011 e depois novamente em março deste ano.

Introdução:

Minha primeira experiência com o Valle D’Aosta foi num rigoroso inverno de 2011, quando decidimos eu e meu marido, conhecer os castelos numa viagem romântica e curiosa, portanto em pleno inverno, em meio a neve.

Já em março deste ano viajei em companhia da minha irmã, seu marido e o meu, em plena primavera, percorrendo alguns dos mesmos castelos que visitei em 2011.

O Vale D’Aosta:

Vale d’Aosta é a pequena região da Itália, moldada por geleiras antigas, e rodeado por algumas das montanhas mais altas da Europa, Mont Blanc, o Matterhorn e Monte Rosa.

COURMAYEUR

Ao longo do rio Dora fica a maioria dos castelos feudais pelos quais o Valle d’Aosta é famosa, a maioria construída pela família Challant, que governou a região durante sete séculos. Embora os castelos são bastante a partir do exterior, e de fácil acesso por ônibus ou trem, o suficiente para justificar uma viagem especial para a região.

Leia também:

Não é só isso, a região é ideal para a prática de esqui e esporte de neve, e no verão perfeito para trekking.

Valle d’Aosta é a menos italiana de todas as regiões. Sua paisagem e arquitetura são Suíças, a língua que se ouve muito é o francês, e em alguns vales os moradores, cujos antepassados emigraram da Suíça, ainda falam um dialeto baseado no alemão.

Na verdade, embora italiano é mais falado do que francês, o bilinguismo é uma parte essencial da identidade de Valle d’Aosta, que é bastante distinta de outras partes do norte – uma distinção reflete na sua maior autonomia administrativa e financeira.

Roteiro:

Indico um roteiro baseado nestas duas viagens, pra fazer de carro:

1° dia: 3 Castelos

No primeiro dia de viagem indico parar nestes 3 castelos:

Este slideshow necessita de JavaScript.

  • Castello de Issogne: Possuído pelo Bispo de Aosta até 1379, o Castelo de Issogne foi renovado e ampliado em torno a 1400 por Ibleto de Challant. Sua aparência atual foi modificada por George de Challant, que o transformou em uma residência de luxo. Depois de ter vários outros proprietários, foi comprado pelo artista Vittorio Avondo e renovado em 1872, ano que doou ao Estado. Ele é aberto a visitação e há muito para ver no castelo em si também, incluindo o Salão do Barão adornado de afrescos, a Capela com abóbadas finamente decorados, o “O quarto do rei da França”, onde o teto é coberto lillies, e o quarto “Cavalheiros de São Maurice” com cruz da Ordem pintado nele.

Este slideshow necessita de JavaScript.

  • Castelo de Verrès:  foi completado por Ibleto de Challant em 1390. Em 1536, Renato de Challant renovou o Castelo como uma fortaleza, no entanto, quando ele morreu, o castelo foi desapropriada para os Savóia. Os Challants tomaram posse da o local novamente em 1696, até que a linhagem da família terminou no início do século 19. Da porta de entrada principal é possível ir ao pátio quadrado do castelo, que é projetado em um anel em torno dos três pisos ligados através de um lance de degraus de pedra monumental com arcos. O local é aberto a vistas, onde é possível admirar a sala de armas, a cozinha, os quartos dos senhores, e refeitório com abóbadas de pedra. Todos os anos o castelo encena o carnaval histórico em Verrès, que recorda a história e lendas da épica Condessa Caterina de Challant.

Este slideshow necessita de JavaScript.

  • Castello de Fénis: é famoso por sua arquitetura extraordinária e pelo poder evocativo das suas torres e muralhas. Esta, estrutura harmoniosa e complexa, que é organizada de uma forma concêntrica em torno de um pátio interno, lembra a imagem quase de um conto de fadas. As torres do castelo foram adicionados em meados do século 14 por Aimone de Challant. A propriedade foi então detida pelos Senhores do Challant até 1716, antes de eventualmente ser transformada em uma casa de campo, comprada em 1895 por Alfredo de Andrade. O Casstelo Fénis  é aberto a visitas, possui um pátio interior decorado com afrescos incríveis. No térreo há uma sala de armas e de jantar, e uma capela no primeiro andar.

Você pode dormir na região da cidade de Aosta.

Este ano, em março, como viajei com outro casal, decidimos alugar uma casa típica e reservamos o Au Petit Chevrot via booking. a proprietária aluga essa séria de casas ao próximo a estrada principal (facilita muito) e com uma ar bem típico. A subida para conhecer Pila, uma montanha onde se pratica esqui é bem próximo.

2° dia: Aosta

No segundo dia, eu indicaria uma pausa e uma visita a cidade de Aosta que tem muito a oferecer, como um teatro romano, lindas igrejas e um centro pitoresco. Para ver tudo o que visitar na cidade, indico você ler o texto que escrevi:  O que ver em Aosta em um dia

Este slideshow necessita de JavaScript.

  • se é inverno, faça uma visita a Pila para esquiar

3° dia: Mais Castelos + Mourgeux e Courmeyer

Retornando ao passeio aos castelos, seguimos por:

  • Castelo di Sarre: Construído em 1710 sobre as ruínas de uma fortaleza em 1242, Sarre castelo foi comprado pelo Rei da Itália Vitorio Emanuele II, que reformado, usou-o durante as suas expedições de caça no Valle d’Aosta. Umberto e a Rainha Maria José também residia no castelo durante as suas férias. Em 1989, a Região do Valle d’Aosta adquiriu a propriedade para renová-la em uma residência alpina e museu marcando a presença de os Savóia na área. Uma visita ao piso térreo é livre, e há visitas guiadas (a cada meia hora) sobre os níveis superiores onde os quartos estão equipados com alguns dos móveis originais do castelo. Você pode ver os apartamentos reais, grande salão de jogos e troféus de caça, e descobrir a história da dinastia Savoia.

  • Castelo Warrior de La TourAs origens deste castelo em Saint-Pierre são misteriososLocalizado em uma área a uma curta distância da estrada estadualo edifício incluído uma capela e torre central, é um castelo cercado por muralhasEm 1420Jean Sarriod ordenou a construção de um verdadeiro castelo, adicionando uma série de estruturas ás torre pré-existente, incluindo uma escada em espiral e janelas em pedra. O Quarto das cabeças” deve o seu nome ao teto sustentado por 171 cabeças esculpidas em formas de grotescas  monstros míticos e animais que portam o brasão da família.

Se tiver tempo, poderá visitar as cidades de Mourgeux e Courmeyer.

Eu sugiro 2 opções de cidades para dormir:

Morgex –  linda cidade, cresce muito no inverno. Você pode se hospedar em La Cincia.

Courmayeur – cidade aos pés do Mont Blanc, há uma maravilhosa vista! Algumas indicações: Grand Hotel Royal E Golf , Romantik Hotel Villa Novecento, Hotel Crampon e Hotel Svizzero.

4° dia: Pré-Saint-Didier

Antes de voltar eu indico uma experiência interessante, eu gostei tanto, que fui uma segunda vez! Indico fazer uma tarde de relax na Terme di Pré-Saint-Didier. Você não vai acreditar neste lugar! É um local de banhos termais bem antigo, aos pés do Mont Blanc com muitos tipos de banhos e tratamentos.

Leia o texto -> Pré-Saint-Didier: piscinas quentes ao ar livre aos pés do Mont Blanc

O mais interessante é ir no alto inverno, pois há uma séria de piscinas e saunas externas, onde é possível descansar nas águas quentes vendo o Monte Blanc, ainda é interessante sair da piscina e enfrentar a neve literalmente pegando fogo (olhe a foto abaixo), esse efeito acontece porque a água esta muito quente e a temperatura externa abaixo de zero.

Eu paguei € 50 euros para poder ficar o dia inteiro ali, mas acabei ficando nas 2 vezes uma tarde.

E ai, gostou do meu roteiro? Você já visitou o Vale D’Aosta? quer contar e dividir com a gente a sua experiência? conta pra gente ai nos comentários!

🏷 Guia Prático

Informações dos locais:Dicas Gastronômicas:MAPA
Castello di Issogne
Piazza Castello,  ISSOGNE (AO)
Horário: Abril, Maio e Setembro: aberto diariamente 9:00-19:00
De junho a agosto: aberto diariamente 10,00-20,00
Preço: € 5,00
Castello di Verres
VERRES (AO)
Horário: Abril, Maio e Setembro: aberto diariamente 9:00-19:00
De junho a agosto: aberto diariamente 10,00-20,00
Preço: € 3,00
Castello di Fènis
Fènis (AO)
Horário: Abril, Maio e Setembro: aberto diariamente 9:00-19:00
De junho a agosto: aberto diariamente 10,00-20,00
Preço: € 5,00
Castello Reale di Sarre 
Loc. Lalex – Sarre -(AO)
Horário: Abril, Maio e Setembro: aberto diariamente 9:00-19:00
De junho a agosto: aberto diariamente 10,00-20,00
Preço: € 5,00
Castello Sarriod de La Tour
Saint-Pierre (AO)
Horário: Abril, Maio e Setembro: aberto diariamente 9:00-19:00
De junho a agosto: aberto diariamente 10,00-20,00
Preço: € 3,00
QC Terme Pré Saint Didier
Allée des Thermes
Pré Saint Didier (AO) –  site

 

Sobre Deyse RibeiroSou Deyse Ribeiro, nasci em Minas Gerais, e vivo na Itália há 14 anos. Sou especialista em turismo na Itália, onde adquiri experiência atuando desde 2011 como guia de turismo, criadora de conteúdo sobre turismo e empresária no ramo. Abri minha primeira empresa em 2017, e ofereço serviços, tours, transfers e experiências únicas na Itália, através do Portal TourNaItália.com - uma boutique de experiências diferente de tudo o que você já viu!

15 comentários em “Roteiro pelo Valle d’Aosta e seus castelos”

  1. Bom dia!
    Vou passar o ano novo no Valle D’Aosta e gostaria de saber se os castelos estarão abertos. Vou ficar de 30/12 a 02/01/20. Saberia me informar?
    Obrigada!!

  2. Eudiman Heringer

    Muito bacana o site. Pretendo ir em Janeiro, descer em Milão (malpensa) ir até Aosta, Pre Saint Didier, depois seguir para Genebra. Não sei se passo antes em Paris ou depois de Genebra. Posso fazer o percurso ao contrário, pois tenho de voltar ao Porto para retorno ao Brasil.

  3. Oi, Dayse!
    Tudo bem???
    Você sabe me dizer se o teleferico que sobe ao Mont Blanc funciona em outubro?? É necessário reservar antes? Sabe o preço???

    Obrigada, querida!

  4. Boa noite,
    Pretendo conhecer o Valle no início de julho.
    4 dias. Qual a melhor opção de hospedagem ?

    1. Fatima, é muito dificil responder esta pergunta, porque depende do gosto e do nivel de conforto que cada pessoa tem e da disponibilidade economica. O que posso dizer que nos textos que fizemos sobre o Valle D’Aosta colocamos sempre a dica dos lugares que dorminos e das cidades onde fizemos como base.
      – Morgex –  linda cidade, cresce muito no inverno. Você pode se hospedar em La Cincia.
      – Courmayeur – cidade aos pés do Mont Blanc, há uma maravilhosa vista! Algumas indicações: Grand Hotel Royal E Golf , Romantik Hotel Villa Novecento, Hotel Crampon e Hotel Svizzero .

  5. Olá , estou indo a Aosta agora em Abril. Saindo de Turim de trem. E tranquilo os passeios a pé ou terei que alugar um carro ?
    Quero fazer também o passeio de teleferico, é muito caro ?

    1. Ola Carina,
      Aosta centro dá pra fazer à pé sim e ir de trem de Torino. Leia nosso post sobre Aosta
      Qual teleferico voce quer subir, esse que citamos no texto?
      abs,
      deyse

    1. Paulo, a primeira vez que fui foi exatamente em janeiro, e estavam sim abertas. Esta região fica bem movimentada no inverno, por causa das áreas de esqui, portanto no inverno não fecham os castelos não. Mas leve roupas bem quentes, porque dentro de alguns Castelos não há aquecimento. Fique de olho no horário de fechamento, porque como no inverno escurece cedo (16:00/16:30), os castelos tambem fecham cedo.
      Boa viagem.

  6. Olá! gostaria de fazer a região do Valle d”Aosta e região de Bolzano , mas fico em dúvida sobre a melhor época (devido às chuvas), qual a época com menores precipitações?
    Obrigada!!

  7. Bom dia Deyse, Td bem?
    Fiquei encantada com esta região!
    Porém tenho uma curiosidade, os castelos fecham em Novembro?
    Os horários de funcionamento que você postou não falam a respeito de alguns meses.
    Estou indo em
    Novembro para Itália e gostaria de incluir esta região no roteiro!
    Obrigada!
    Louise

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.