Portal Tour na Itália: turismo, cultura, tours, serviços e experiências!

O que ver em Aquileia, a “segunda Roma” do passado glorioso

Com o seu encanto antigo e opulento, Aquileia foi uma das cidades mais ricas do Império Romano. Não por acaso, nos tempos antigos, Aquileia era conhecida como a ” Segunda Roma “.

E esse encanto, essa riqueza histórica, essa vivacidade cultural ainda está presente, em sua forma máxima, nesta esplêndida cidade – localizada em Friuli Venezia Giulia – de cerca de 3.400 habitantes.

Introdução

A fundação de Aquileia foi em 181 a.C. com a função de defender as fronteiras do império contra os bárbaros e facilitar ambições expansionistas além do Danúbio. Porto fluvial no rio Natissa, em pouco tempo a colônia romana tornou-se uma das principais cidades do Império, enriquecida por majestosos edifícios que nada tinham a invejar a capital.

Segundo a tradição, a passagem em Aquileia de São Marco Evangelista foi importante para a cidade. O Santo fez de sua pregação uma porta para a difusão do cristianismo na Europa.

Em 452 a cidade sofreu uma pesada devastação por parte de Átila; no século seguinte, a região de Aquileia foi dividida entre romano-bizantinos e lombardos. Por volta do ano mil a cidade floresceu graças ao patriarca Poppone (1019-42) que relatou a sede do patriarcado de Cividale del Friuli a Aquileia.

O que visitar

1. Basílica Patriarcal de Santa Maria Assunta

Entre os lugares para visitar em Aquileia você não pode perder a Basílica Patriarcal de Santa Maria Assunta (info). Dedicado à Virgem e aos santos Ermacora e Fortunato, foi a igreja da catedral do patriarcado suprimido de Aquileia. Importante são os esplêndidos mosaicos que ilustram cenas do Antigo Testamento, a Cripta dos Afrescos e a Cripta das Escavações.

A Basílica foi construída a partir de 313 d.C, seguindo o Edito de Milão que acabou com as perseguições religiosas. Parece que o edifício foi ordenado pelo mesmo imperador Constantino. Os vestígios mais antigos remontam ao século IV, mas entre 1021 e 1031 a Basílica foi quase completamente reconstruída a mando do patriarca Poppone, para depois ser retrabalhada no século XIV.

Dentro da Basílica parece haver um microcosmo de espiritualidade pura e autêntica, longe de excessos suntuosos. O impacto com a sua arquitectura românico-gótica é emocionante! A Basílica é do século IV e uma grande área de 760 m², o pavimento tem o maior e mais antigo mosaico cristão no Ocidente. Os temas dos mosaicos são permeados por um simbolismo alusivo que, para alguns estudiosos, estaria associado à corrente do gnosticismo. De fato, as comunidades gnósticas estavam presentes em Aquileia desde os primeiros séculos.

Os animais representados incorporam o contraste entre o bem e o mal; a Vitória alada com palmeira e coroa de louros representa o triunfo do cristianismo, que se tornou a principal religião do Império após o Édito de Constantino; a história do profeta Jonas,  e depois ressurgiu do abismo, simboliza os estágios da morte e ressurreição de Cristo.

2. Cripta dos Afrescos

Dentro da Basílica ainda é possível visitar a Cripta dos Afrescos, construída no século IX, foi decorada no final do século XII. Os afrescos aludem as origens do cristianismo em Aquileia, enquanto as lunetas narram cenas relacionadas à vida de Cristo e Maria. O majestoso afresco absidal remonta a 1031, sob o domínio do patriarca Poppone; retrata a Maria em trono cercada pelos mártires da tradição Aquileiana.

3. Cripta das Escavações

A Cripta das Escavações faz parte de um caminho subterrâneo onde é possível admirar outro interessante ciclo de mosaicos em que os animais, carregados de significados simbólicos, se tornam porta-vozes de vícios e virtudes.

Visitá-lo se traduz em uma viagem emocionante através do tempo, uma vez que os restos e mosaicos pertencem a quatro épocas diferentes.

4. Batistério

Digno de nota é o batistério do século IV. O pavilhão sul do Batistério, do chão coberto de mosaicos, todos restaurados e datados do quinto século. Uma passarela permite que você admire essas obras de cima, entre as quais se destaca um pavão maravilhoso.

5. Torre do Sino

A imponente torre do sino foi erguida no século XI pelo patriarca Poppone, foi gradualmente elevada no século XIV até a altura atual (73 metros). Subindo ao topo da torre do sino (fechada somente no inverno), você pode admirar uma vista que varre dos Alpes até as alturas do Carso.

6. Cemitério dos Heróis

Fora da Basílica fica o Cemitério dos Heróis (Cimitero degli Eroi), onde dez dos onze soldados desconhecidos estão enterrados, tombados durante a Grande Guerra de 1915-1918. Entre eles, Maria Bergamas escolheu o corpo do Soldado Desconhecido, depois transferido para Roma no Altare della Patria.

7. Sepolcreto

O Sepolcreto fica a 5 minutos a pé da Basílica e está incluído no ingresso. É uma necrópole que abriga cinco recintos funerários pertencentes a tantas famílias. Apenas quatro, no entanto, sabem-se os nomes: Stazia, Trebia, Cestia, Giulia.

8. Domus e Palazzo episcopale

O sítio arqueológico “Domus e Palazzo episcopale(info) foi recentemente aberto ao público. É uma nova estrutura de proteção da área arqueológica da Piazza Capitolo descoberta há mais de 60 anos. Através de um jogo arquitetônico inteligente, os turistas podem admirar a sobreposição de camadas de pavimento pertencentes a diferentes épocas.

9. Fórum Romano

Não perca uma visita ao Fórum Romano, coração administrativo e religioso da Aquileia Imperial. O lugar transmite uma grande sugestão entre imponentes colunas, do que ainda parecem narrar as glórias de Aquileia, a quarta cidade do Império depois de Roma, Milão e Cápua.

Ao sul ficava a basílica (usada para funções civis) e no norte o “macellarum“, um mercado de alimentos. No lado ocidental, provavelmente, estava localizado o “capitólio“, um templo dedicado às divindades. A área incluía o circo, o anfiteatro, o teatro e os banhos. No subsolo ainda existem numerosas pequenas igrejas da era cristã primitiva. As primeiras escavações datam de 1934 e ainda estão em andamento. Durante as obras foi construída a chamada Via Sacra, um calçadão cercado por ciprestes, que chega ao porto fluvial de Narissa.

Outros locais de interesse incluem dois importantes museus. Nos três andares do Museu Arqueológico, um dos principais museus do mundo na Era Imperial, é possível encontrar moedas, pedras preciosas, jóias, mosaicos e exemplos de arte funerária romana. Digno de nota é o mosaico que remonta ao primeiro século com o “Ratto di Europa”.

10. Museo Nazionale Paleocristiano

O Museo Nazionale Paleocristiano (info) é construído dentro de um convento beneditino, mas por sua vez erguido nas paredes de uma antiga basílica cristã de 345. O primeiro andar inclui uma série de mosaicos que decoram uma casa de campo de Tullio, entre os quais se destaca a obra com doze cordeiros representando os apóstolos e o pavão, um símbolo da imortalidade, porque se acreditava que sua carne não decaía. O segundo andar abriga uma vasta coleção de inscrições funerárias.

Eventos em Aquileia

O evento “Tempora in Aquileia” acontece em junho: é uma reencenação histórica das glórias do passado imperial. O programa inclui a preparação de um mercado de artesanato, barracas de comida e antigas “tabernae”, um festival Celtico, danças, canções e rituais romanos, simulação de batalhas, bem como oficinas para crianças.

O centro histórico também abriga um festival de primavera para jovens e idosos: “Aquileia in Primavera“, um evento dedicado ao artesanato e comida e vinho, cheio de entretenimento e entretenimento.

CURIOSIDADE:

Alguns restaurantes em L’Aquila aderem à promoção ” À mesa com os antigos romanos”. Neles você pode saborear deliciosos pratos preparados com receitas de 2000 anos atrás! Pode ser interessante experimentá-los …

O imperador Justiniano certa vez descreveu Aquiléia como “a maior de todas as cidades do Ocidente”. Hoje, os visitantes podem vislumbrar o passado glorioso de Aquileia através dos vestígios históricos dos tempos do Império Romano, ainda de pé e desafiando o passar do tempo.

Pronto para descobrir Aquilea?

🏷 Guia Prático

Como chegar:

Aquileia pode ser facilmente alcançada de trem e de carro.

  • De Trem:Se você optar pelo trem, desça na estação Cervignano-Aquileia-Grado. De lá, os ônibus irão levá-lo imediatamente para Aquileia. Linhas SAF
  • De carro: Se você estiver viajando de carro, pegue a rodovia A4 Venezia-Trieste e saia em Palmanova.
  • O aeroporto mais próximo é o de Trieste.
  • TRANSFER – nós oferecemos o serviço de transfer em Gorizia e em toda a região do Friuli, veja AQUI

Onde comer:

Como qualquer vila ou cidade na Itália, Aquileia é rica em bons restaurantes, cafés e padarias. Se você gostaria de experimentar alguns deliciosos bolos e doces locais para um adorável lanche da tarde, dê uma olhada na Pasticceria Mosaico. Para uma boa pizza, experimente o Antica Aquileia Ristorante Pizzeria. Os frutos do mar são a especialidade de La Capannina e Il Corallo.

Onde dormir:

Aquileia é uma cidade muito pequena, mas existem boas opções de alojamento na zona graças ao elevado número de turistas que a visitam todos os anos. O Hotel Patriarchi está localizado na Via Giulia Augusta e é um sólido três estrelas com excelentes críticas. Se o seu orçamento for menor, você pode experimentar a igualmente bem avaliada Alla Basílica, na Viale Stazione.

Durante a viagem pelo Friuli Venezia Giulia optei por fazer 2 bases, e dividimos pela proximidade com as cidades que eu queria visitar. Adorei todos os hotéis que ficamos:

  • Portopiccolo (pertinho de Trieste) – Em Portopiccolo ficamos em um 5 estrelas da Marriot Falisia, a Luxury Collection Resort & Spa, Portopiccolo que tinha um ótimo pacote com spa no e festa de reveillon. Dali visitamos os castelos de Miramare e Duino e a cidade de Gorizia e Trieste.
  • Udine – ficamos numB&B de Charme Casa Stucky pertinho do centro e dali visitamos Udine, San Daniele, Palmanova, Aquilea, Civitale del Friuli e Pordenone.

>

Algumas informações importantes

INFO VISITAINGRESSOSMAPA

Ponto de Informação Turística: Via Giulia Augusta, 11

Monumentos e Museus:

  • Basilica: Visite o site Horário de funcionamento
    setembro de 2020: 10h – 18h (segunda – sábado), 12h – 18h (domingo)
    Outubro de 2020: 10h – 18h (segunda – sexta), 10h – 17h45 (sábado), 12h – 18h (domingo)
    novembro de 2020 – Março de 2021: 10h – 16h (segunda a sexta), 10h – 17h (sábado); 12h00 – 17h00 (domingo)
    As bilheterias fecham 15 minutos antes do horário de fechamento da Basílica.
  • Domus e Palazzo episcopale: piazza Capitolo – Visite o site
  • Museu Arqueológico Nacional : Via Roma, 1 – Visite o site
    Horário de funcionamento: terça à domingo das 10 às 19h
  • Museo Nazionale Paleocristiano: Piazza Pirano, 1

Monumentos e Museus:

  • Basílica e Cripta dos Afrescos – Bilhete completo: € 3,00 – Grátis com FVGcard
    Ingresso para o complexo da Basílica (Basílica, Criptas, Batistério, Süd Halle, Domus Palazzo Episcopale, Torre sineira – a torre sineira está aberta de abril a setembro)  Ingresso completo: € 10,00 – Grátis com FVGcard
  • Museu Arqueológico Nacional : bilhete € 7,00 – Bilhete reduzido: € 2,00 (para cidadão da UE dos 18-25 anos
  • Museo Nazionale Paleocristiano: entrada gratuita
Sobre Deyse RibeiroSou Deyse Ribeiro, nasci em Minas Gerais, e vivo na Itália há 14 anos. Sou especialista em turismo na Itália, onde adquiri experiência atuando desde 2011 como guia de turismo, criadora de conteúdo sobre turismo e empresária no ramo. Abri minha primeira empresa em 2017, e ofereço serviços, tours, transfers e experiências únicas na Itália, através do Portal TourNaItália.com - uma boutique de experiências diferente de tudo o que você já viu!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.