Portal Tour na Itália: turismo, cultura, tours, serviços e experiências!

A história do Santuário de São Miguel Arcanjo e Monte Sant’Angelo

O Santuário de São Miguel é uma basílica construída em uma gruta onde, segundo a tradição, São Miguel Arcanjo foi visto quatro vezes. As aparições do arcanjo transformaram o local em um importante local de fé e peregrinação, e a cidadezinha de Monte Sant’Angelo em um ponto turístico muito procurado pelos visitantes.

Algumas informações sobre Monte Sant’Angelo

  • A cidade de Monte Sant’Angelo está situada na província de Foggia, região da Puglia;
  • Possui uma população de aproximadamente 14 mil habitantes;
  • A cidade está localizada a 56 quilômetros da cidade de Foggia, 154 quilômetros de Bari, a 236 quilômetros de Nápoles e a 20 quilômetros do litoral do Mar Adriático;
  • O Santuário de São Miguel Arcanjo é classificado como Patrimônio Histórico pela UNESCO desde 2011.

A história do Santuário de São Miguel Arcanjo

As aparições de São Miguel Arcanjo

A história que levou à construção do santuário começa em 490, quando o bispo de Siponto resolve criar um local de culto cristão em uma gruta no Monte Gargano. Essa decisão teria como ponto de partida a aparição de São Miguel Arcanjo. Uma lenda diz que um pastor, em busca de um touro que havia desaparecido, chega até a gruta e o encontra. Ao perceber que o animal estava preso, e que seria praticamente impossível retirá-lo dali, o homem resolve sacrificá-lo. Ao disparar a flecha, essa fez uma curva, desviando do animal. O homem, assustado, procura o bispo para contar o que havia acontecido. Dias depois, esse mesmo homem teria visto São Miguel em um sonho, que lhe teria dito que aquela caverna deveria ser consagrada a ele, e que ele protegeria a cidade e perdoaria a quem, na caverna, orasse.

Santuário São Miguel Arcanjo - Puglia - Itália
Santuario di San Michele Arcangelo a Monte Sant’Angelo (FG) Foto personale concessa in PD. Foto: Wikimedia Commons

Dois anos depois, o arcanjo teria aparecido uma segunda vez, enquanto a cidade era atacada por invasores, O arcanjo Miguel apareceu para o bispo da cidade, prometendo uma vitória. Animados com a aparição, os habitantes da cidade atacaram os invasores, contando com a ajuda de São Miguel, que providenciou uma chuva de areia e granizo, Dessa forma, conseguiram afastar os invasores.

Após esse fato, o papa Gelásio I ordenou a construção de uma basílica no local da gruta. A terceira aparição do arcanjo se deu no ano seguinte, quando, ao final da construção da basílica, o arcanjo apareceu dizendo que a nova basílica não deveria ser consagrada, já que ele mesmo já o tinha feito.

A quarta e última aparição aconteceu em 1656, quando o arcanjo atendeu ao chamado do bispo Alfonso Pucinelli, que implorava por ajuda para afastar uma peste que assolava os moradores da cidade. Independente da veracidade dessas aparições, o fato é que a criação de um local de culto na gruta se deu em um contexto em que muitos rituais pagãos, com origens no período romano, ainda eram realizados na região, e mais especificamente no próprio local da gruta. A criação da basílica seria uma tentativa de erradicar de vez esses cultos.

A princípio, a basílica construída na gruta atraia apenas os moradores da região. Com o tempo, o local começou a se tornar muito popular, recebendo, ano após ano, uma grande quantidade de peregrinos incluindo muitos nobres, religiosos e pessoas ilustres, tais como os papas Leão IX, Alexandre III, Gregório X, Urbano II e Celestino V, bem como os reis Henrique II, Lothar II da Sicília, Balduíno de Flandres e Carlos I de Anjou. Além disso, alguns dos santos muito cultuados hoje em dia também visitaram o santuário, como São Bernardo, Santa Isabel e São Francisco de Assis.

Mboesch, CC BY-SA 4.0, via Wikimedia Commons

O Santuário de São Miguel Arcanjo

A pequena basílica construída no final do século V foi sendo ampliada e modificada com o passar do tempo. O principal período de reformas e ampliações se deu durante o governo de Carlos I de Anjou, responsável pela construção da grande nave atual, da ampliação dos acessos ao topo do monte e da construção da Torre Sineira (o campanário localizado na entrada do santuário). Foram dele também diversas modificações feitas visando facilitar o acesso dos peregrinos ao santuário

A arquitetura e a decoração da basílica são simples se comparadas com outras basílicas famosas, mas tudo transmite uma sensação de tranquilidade e paz. O santuário é composto por um pequeno vestíbulo, logo após a entrada, onde é possível ver alguns afrescos do período bizantino. No vestíbulo há uma escada que dá acesso à gruta, localizada no piso inferior. São 89 degraus até chegar à gruta, que é protegida por duas portas de bronze decoradas com temas bíblicos. A gruta é de tamanho médio, comportando cerca de 80 pessoas.

Ao fundo do espaço fica o altar, com uma estátua de São Miguel, segurando uma espada nas mãos e pisoteando, que está representado como um ser com pernas de cabra, garras de leão, calda de cobra e cara de macaco. A belíssima estátua foi feita em mármore de carrara no século XVI pelo artista Andrea Contucci (conhecido como Sansovino), também responsável pelo revestimento de mármore da Santa Casa de Loreto. Todos os anos, no dia 29 de setembro, a espada que São Miguel carrega é retirada e levada em procissão pelas ruas da cidade. Ainda no altar principal há um fragmento do altar original, onde está gravada a pegada de uma criança.

Santuário São Miguel Arcanjo - Puglia - Itália
No machine-readable author provided. Idéfix~commonswiki assumed (based on copyright claims)., CC BY-SA 3.0, via Wikimedia Commons

Os museus

Ainda no subsolo, no espaço onde antigamente ficava a entrada da gruta, estão localizados dois museus: o Lapidário e o Devocional. O primeiro conta com um importante acervo arqueológico, fruto de várias escavações ocorridas na região, bem como doações ao longo do tempo. O museu exibe artefatos dos períodos Bizantinos e Lombardo, tais como pequenas esculturas, fragmentos de colunas e capitéis, cerâmicas do período romano, pontas de lança, etc.

O Museu Devocional, por sua vez, tem todo o seu acervo relacionado às aparições de São Miguel. Entre os artefatos exibidos encontram-se ex-votos e tabuinhas votivas, oriundas das pequenas fábricas de artesão que se desenvolveram na região ao longo do tempo. O museu ainda possui muitos artefatos de prata, móveis antigos, estátuas feitas com pedras locais, além de um belíssimo relicário com uma cruz do século XIV.

Também é possível visitar as antigas criptas do período lombardo, que trazem uma prova da importância religiosa do local durante a Idade Média: as paredes da cripta possuem diversas inscrições que são, em sua maioria, nomes dos peregrinos que passavam por ali e deixavam sua marca.

Veja mais textos sobre a Puglia

Santuário São Miguel Arcanjo - Puglia - Itália
Tango7174, CC BY-SA 4.0, via Wikimedia Commons

Outras atrações da cidade e da região

Embora pequena, e com sua história totalmente ligada à história do santuário, Monte Sant’Angelo tem outras atrações que valem a pena visitar, como por exemplo seu centro histórico típico de cidades medievais, com suas ruas estreitas, casinhas apertadas e longas escadarias. Você pode visitar também:

Complexo de São Pedro

Quase em frente ao santuário fica um grupo de edifícios conhecido como Complexo de São Pedro. Fazem parte dele a Igreja Santa Maria Maggiore, construída no século XI, no local onde havia uma antiga necrópole, e a Basílica di San Giovanni in Tumba, construída no século VI e que supostamente serviu como tumba do rei lombardo Rotário.

Castelo Monte Sant'Angelo - Puglia - Itália
Turist203, CC BY-SA 3.0, via Wikimedia Commons

Castelo de Monte Sant’Angelo

Esse castelo foi construído no século IX a mando do bispo Orsini, como forma de defender a cidade. Foi posteriormente reforçado nos períodos de dominação normandas e francesa, que aumentaram a muralha e construíram duas torres circulares. O castelo é rodeado por um fosso que, em caso de ataque, era preenchido com água, e por ser construído no alto da colina, proporciona uma linda vista da cidade.

Museu da Arte e da Tradição Popular

Pequeno e interessante museu fundado em 1925, que mostra através de objetos os costumes e hábitos da vida dos habitantes da região, tais como móveis, vestuário, utensílios e ferramentas que fizeram parte da história da região ao longo do tempo.

Santuário do Padre Pio

Quem visita Monte Sant’Angelo pode dar uma esticadinha até San Giovanni Rotondo, distante apenas 5 quilômetros, e visitar o Santuário do Padre Pio. Padre Pio foi um frade capuchinho, a quem vários milagres são atribuídos, e que foi canonizado pelo Vaticano em 2002. O moderno santuário, inaugurado em 2004, exibe o corpo incorrupto do santo, que morreu em 1968.

Parque Nacional do Gargano - Puglia - Itália
No machine-readable author provided. Idéfix~commonswiki assumed (based on copyright claims)., CC BY-SA 3.0, via Wikimedia Commons

Parque Nacional do Gargano

Monte Sant’Angelo está inserida dentro do Parque Nacional do Gargano, um dos maiores parques naturais da Itália, com mais de 121 mil hectares. O parque engloba, além de várias cidades, o Monte Gargano, as Ilhas Tremiti, a Floresta Umbria e os pântanos do Lago Salso, entre outras áreas.

Curiosidades sobre o Santuário de São Miguel Arcanjo

Desde 2011, o Santuário de São Miguel Arcanjo está classificado como Património Mundial pela UNESCO. O monumento faz parte da lista Lombardos na Itália: Locais de poder (568-774). Essa classificação inclui ainda:

  • a área de Gastaldaga e o complexo episcopal de Cividale del Friuli;
  • a área monumental do fórum romano e o complexo monástico de São Salvador-Santa Júlia, em Bréscia;
  • o castro com a Torre Torba e a Igreja de Santa Maria Fora dos Portões, em Castelseprio;
  • a Basílica de São Salvador, em Espoleto;
  • o Templo de Clituno, Campello sul Clitunno;
  • o complexo de Santa Sofia, em Benevento.

Os Lombardos foram um povo de origem germânica que governou grande parte da Itália entre os anos de 568 e 774 d.C. Convertidos ao cristiansmo, esse povo construiu inúmeros monumentos religiosos em território italiano, desempenhando papel fundamental no crescimento e desenvolvimento da religião na região.

Monte Sant'Angelo - Puglia - Itália
Tango7174, CC BY-SA 4.0, via Wikimedia Commons

A Linha Sagrada de São Miguel

Existem atualmente na Europa seis santuários dedicados à São Miguel, construídos em países diferentes e épocas diferentes. Há ainda mais um santuário construído em Israel. Além do santuário em Monte Sant’Angelo, os outros são:

  • Skellig Michael, Irlanda;
  • Saint Michael’s Mount, Inglaterra;
  • Mont Saint-Michel, França;
  • Abadia di San Michele della Chiusa, Itália;
  • Monastério de Symi, Grécia;
  • Monastério Stella Maris, Israel.

O fato curioso é que, se pegarmos um mapa e identificarmos todos esses locais, é possível traçar uma linha reta desde Skellig Michael, na Irlanda, até o Monastério Stella Maris, em Israel. Ou seja, todos os santuários dedicados à São Miguel estarão nessa linha reta, um trajeto imaginário com mais de 4 mil quilômetros. Todos esses lugares foram fundados a partir de supostas aparições do arcanjo, que teria indicado exatamente o local onde um santuário deveria ser erguido. Apenas coincidência ou intervenção divina?

Outro detalhe é que a distância entre o Mont Saint-Michel, a Abadia di San Michele della Chiusa e o Santuário de São Miguel é de exatamente mil quilômetros. E mais, essa linha imaginária está completamente alinhada com o poente durante o solstício de verão no Hemisfério Norte.

Veja mais curiosidades sobre outras regiões da Itália

O que comer?

Se estiver em Monte Sant’Angelo, não deixe de provar os pães, especialidade da culinária da cidade. O pão típico é um pão com casca grossa, normalmente utilizado no preparo de bruschettas e focaccias, além do pancotto, uma sopa com pedaços de pão, batatas e legumes. Por fim, não deixe de experimentar o doce típico da região, a Ostia Ripiene, duas bolachas redondas e finas (igual a uma hóstia) recheadas com amêndoas caramelizadas e mel. Uma delícia.

Monte Sant'Angelo - Puglia - Itália
LPLT, CC BY-SA 4.0, via Wikimedia Commons

Como chegar?

A melhor opção para visitar a cidade é de carro, pois assim também é possível visitar outros locais religiosos que estão próximos, como, por exemplo, San Giovanni Rotondo. Para quem vem de carro, Monte Sant’Angelo está a 236 quilômetros de Nápoles (seguindo pelas via A16 e E848 ), 154 quilômetros de Bari (pela via A14) e a 56 quilômetros de Foggia (pela via SS89). Outra opção é pegar um ônibus em Foggia, não há estação de trem na cidade.

A importância religiosa da cidade de Monte Sant’Angelo e do Santuário de São Miguel Arcanjo são enormes, e contribuem também para o aumento cada vez maior da procura pelo turismo religioso. Para além das questões religiosas, a região é belíssima e tem muitas outras atrações. Espero que você tenha gostado das informações deste texto, e caso pretenda viajar pela Itália e conhecer melhor a Puglia, leia os outros textos que escrevemos sobre a região. E caso queira uma experiência única e particular, temos vários tours pela região com guias falando português.

Sobre Deyse RibeiroSou Deyse Ribeiro, nasci em Minas Gerais, e vivo na Itália há 14 anos. Sou especialista em turismo na Itália, onde adquiri experiência atuando desde 2011 como guia de turismo, criadora de conteúdo sobre turismo e empresária no ramo. Abri minha primeira empresa em 2017, e ofereço serviços, tours, transfers e experiências únicas na Itália, através do Portal TourNaItália.com - uma boutique de experiências diferente de tudo o que você já viu!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.