Portal Tour na Itália: turismo, cultura, tours, serviços e experiências!

15 Curiosidades sobre a Sardenha

A Sardenha é uma ilha com uma cultura própria, que mistura influências de fenícios, romanos, bizantinos e árabes, entre outros. Cheia de mistérios, a ilha tem atraído cada vez mais o interesse dos turistas. Vamos conhecer um pouco mais sobre a Sardenha?

Algumas informações sobre a Sardenha:

  • Localizada bem no centro do Mediterrâneo, a ilha tem a península italiana a leste, a ilha francesa da Córsega ao norte, a Península Ibérica a oeste e o norte da África ao sul;
  • Possui mais de 24.000 km² de superfície, o que faz dela a terceira maior região italiana e a segunda maior ilha do Mediterrâneo;
  • A região se divide em cinco províncias: Sassari, Nuoro, Oristano, Sud Sardegna e Cagliari. As principais cidades da ilha são: Cagliari (capital e maior cidade da região), Sassari e Ólbia;
  • A maior parte do território da ilha é constituído de montanhas e colinas, com altitudes que variam entre 300 e 1.000 m. O ponto mais alto é a Punta La Marmora, com 1.834 metros de altura;
  • O clima é do tipo mediterrânico, com inverno mais amenos, mas com primaveras e outonos quentes. A temperatura sobe muito no verão, e por isso a ilha é suscetível a muitos incêndios.

Veja mais textos sobre a Sardenha.

Cala Coloritze
Yesuitus2001, CC BY-SA 2.5, via Wikimedia Commons

Um pouco sobre a história da Sardenha

A história da Sardenha é muito antiga, marcada pela passagem de diversos povos diferentes. Sinais de ocupação humana que remontam há 500 mil anos já foram encontrados na ilha. Os assentamentos permanentes começaram por volta de 6 mil anos atrás, mas pouco se sabe sobre as populações que habitavam a ilha.

Entre os séculos X e VIII a.C., fenícios e gregos visitam constantemente a ilha, mas foram os fenícios que se estabeleceram na região, porém, sempre em conflito com os povos nativos. Por volta de 509 a.C., o exército de Cartago (antiga colônia fenícia localizada no norte da África) conquista toda a ilha, inaugurando um período de mais de três séculos de dominação.

Durante a chamada Primeira Guerra Púnica, os romanos expulsaram os cartagineses da ilha, iniciando um longo período de mais de 600 anos de dominação. Com o fim do império, vândalos, bizantinos e árabes se alternam na posse da ilha, e a Sardenha só voltaria a ter estabilidade no século XIV, quando foi incorporada ao Reino de Aragão. Em 1718 a Sardenha é cedida ao Ducado de Sabóia, dando origem ao Reino da Sardenha, que se tornaria Reino da Itália a partir de 1861.

Ilha de Sardenha

15 Curiosidades sobre a Sardenha

  1. Está mais próxima da França do que da Itália

A parte norte da Sardenha está a apenas 14 quilômetros da ilha francesa da Córsega, o que deixa a Sardenha muito mais próxima da França do que da própria Itália. Não só em relação à pequena distância mas, culturalmente, as duas ilhas têm muito em comum, compartilhando traços culturais e linguísticos. Isso se deve ao isolamento natural das ilhas com relação ao continente, incentivando uma integração entre as populações das ilhas no passado.

  1. A origem do nome Sardenha

A origem do nome Sardenha é incerta mas, segundo alguns estudiosos, provavelmente vem da Grécia. A mitologia grega cita Sardo, filho de Máceris, como sendo o primeiro a chegar à ilha. Outra possível origem ao nome seria o fato de que o contorno da ilha parece com uma pegada, e por isso foi chamada pelos gregos como sândalion. Por sua vez, os cartagineses se referiam a ilha como ichnussa.

Curiosidades sobre Sardenha - Itália

  1. Sua população vive muito

A Sardenha tem uma das mais altas taxas de expectativa de vida do mundo, com sua população vivendo acima da média de 81 anos. Outro detalhe curioso é que a ilha tem, junto com Okinawa, no Japão, o maior índice de pessoas com mais de cem anos, cerca de 22 centenários a cada 100 mil habitantes.

A ciência ainda não tem uma explicação para a longevidade dos sardos, mas já identificou alguns fatores que podem contribuir para isso:

  • Alimentação: simples e sem exageros, feita a base de frutas e vegetais, pouca carne e açúcar;
  • Vida ativa: boa parte da população vive longe das grandes cidades, e muitos cuidam de rebanhos e plantações, o que garante uma vida bem ativa. Além disso, o relevo montanhoso da ilha garante um bom esforço em qualquer caminhada;
  • Sem stress: a maioria dos centenários mora em pequenos vilarejos, levando uma vida simples e longe do stress que marca o dia a dia das grandes cidades;
  • Ar puro: o ar puro das montanhas, muito diferente do ar poluído dos grandes centros, também é considerado fundamental para a saúde.
  1. A família mais velha do mundo

A família Melis vive em Perdasdefogu, no sul da ilha, e ostenta um título: é considerada a família mais velha do mundo, certificada pelo Guinness Book. Na época da premiação, em 2012, os membros mais velhos da família (nove irmãos) somavam juntos 818 anos, sendo a pessoa mais velha com incríveis 104 anos.

  1. Na Sardenha fala-se muitas línguas

Do ponto de vista linguístico, a Sardenha é uma verdadeira Torre de Babel. São muitas línguas e dialetos diferentes, o que faz com que praticamente toda a população da ilha seja bilíngue. Além do italiano, fala-se também o sardo, que é considerado uma língua distinta do primeiro. O sardo, por sua vez, apresenta duas variantes principais: o logudorense, falado na região central da ilha; e o campidanês, falado em quase toda a região.

No norte da ilha também são falados o sassarês e o galurês, mais parecidos ao idioma da Córsega. Além disso, existem também minorias falantes do algueres (considerado um dialeto do catalão) e do tabarquino (considerado uma variante do dialeto da Ligúria).

  1. Os Nuraghi

Uma das culturas mais antigas já registradas na Sardenha é a nurágica. Essa cultura teve início por volta de 1.600 a.C., encontrando o seu fim por volta do ano 500 a.C. Pouco se sabe sobre os povos responsáveis por essa cultura, mas os vestígios deixados por eles são muitos. A principal característica dessa cultura são as torres de pedra que dão nome a essa civilização. Elas estão espalhadas pela ilha, e acredita-se que existam mais de 7 mil. A maior e mais famosa dessas estruturas é o Su Nuraxi, localizado em Barumini e listado pela UNESCO como Patrimônio Mundial

Cristiano Cani, CC BY-SA 3.0, via Wikimedia Commons
  1. Diversos sítios arqueológicos

Para quem gosta de história e arqueologia, a Sardenha oferece uma infinidade de sítios históricos e arqueológicos, vestígios de todas as civilizações que já passaram pela ilha. Além dos famosos nuraghi, alguns dos principais monumentos são:

  • Necropolis of Montessu
  • Tomba di Giganti su Monte s’Abe
  • Santa Vittoria di Serri
  • Monte Sirai
  • Cidade fenícia de Cornus
  • Cidade fenícia de Nora
  • Tomba di Giganti di San Cosimo
  • Tomba di Giganti di Coddu Vecchju
  • Castelo de Acquafredda
  • Necropolis Anghelu Ruju
  • Temple of Antas
  • Fórum Traiani
  • Cidade fenícia de Tharros
  • Necropolis de Tuvixeddu
  • Villa di Tigellio
  • Necropolis de Loccis Santus
  • Tomba di Giganti di s’Ena de Thomes
  • Velhas pontes romanas e medievais
  • Assentamento de Sant’Anastasia
  • Castelo de Pedres
  • Praetorium romano Muru is Bangius
  • Assentamento de Serra Orrios
  • Necropolis de Filigosa
  • Necropolis de S. Andrea Piu
  • Templo de Antas
  1. Terra natal de Gramsci

Antonio Gramsci foi um filósofo, jornalista, político e escritor italiano nascido em 1891 na cidade de Ales, cerca de 77 quilômetros ao norte de Cagliari. É considerado um dos principais teóricos do Marxismo, desenvolvendo diversas teorias e conceitos sobre o assunto. Foi um dos fundadores do Partido Comunista Italiano, e influência para diversos pensadores de esquerda pelo mundo.

Além de Gramsci, o jogador de futebol Gianfranco Zola (vice campeão do mundo na Copa do Mundo de 1994), a atriz Caterina Murino (participou do filme 007 – Cassino Royale) e o político Antonio Segni (presidente italiano entre os anos de 1964 e 1964) também nasceram na Sardenha.

Veja mais curiosidades sobre outras regiões italianas

Platamona
Zxasqw80, CC BY-SA 3.0, via Wikimedia Commons

 

  1. Belas praias

Com mais de 1.849 km de litoral, a Sardenha tem uma infinidade de belas praias para visitar. As praias mais famosas e visitadas são:

  • La Pelosa;
  • Spiaggia Rosa e Spiaggia del Principe (na famosa Costa Esmeralda);
  • Cala Brandinchi;
  • Berchida;
  • Cala Luna;
  • Cala Goloritze;
  • Scoglio di Peppino;
  • Porto Giunco;
  • Su Giudeu;
  • Tuerreda;
  • Porto Pino;
  • Cala Domestica;
  • Is Arutas;
  • S’Archittu.

Outro lugar muito procurado é o Arquipélago La Maddalena, um conjunto de ilhas no nordeste da Sardenha, próxima da Córsega. Essas ilhas, além da beleza natural e do incrível mar azul, também abrigam um parque nacional marinho, com mais de 15 mil hectares de área protegida.

  1. A lenda de Atlântida

Todo mundo já ouviu falar das lendas envolvendo a Atlântida, uma ilha mítica que teria existido há muito tempo atrás, e que desapareceu após um cataclismo. Retratada em diversos filmes e livros, a história por trás dessa misteriosa ilha vem dos relatos de Platão, presentes nas obras “Timeu e a natureza” e “Crítias ou a Atlântida”.

Uma vez que não há nenhum indício dessa ilha a não ser os relatos de Platão, a maioria dos estudiosos encaram a questão como simples fantasia, mas há quem acredite que a ilha realmente existiu, e se debruçam na tentativa de descobrir qual a sua verdadeira localização. Entre os muitos lugares apontados como remanescentes da antiga Atlântida está a Sardenha.

Ilha de Sardenha

  1. O nome da sardinha

Sardinha é um nome genérico dado para peixes da família dos clupidae. Muito conhecidos e consumidos, esses peixes eram, no passado, abundantes na região da ilha da Sardenha, e por isso acredita-se que passaram a ser chamados dessa forma.

  1. Um licor muito famoso

O mirto é um licor típico da Sardenha, muito famoso em toda a Itália. é feito através da maceração das frutas da murta, uma árvore típica da região. Normalmente é servido bem gelado e após as refeições, para servir como digestivo. Além do mirto tinto, feito com frutas pretas, também existe o mirto branco.

Zuppa gallurese
Gianni Careddu, CC BY-SA 4.0, via Wikimedia Commons
  1. Muitos pratos típicos

A culinária da Sardenha é muito saborosa, e reflete as muitas influências culturais que a ilha absorveu ao longo de sua história. Alguns dos pratos que você precisa provar quando visitar a região:

  • culurgiones: uma massa recheada com queijo pecorino, batata e menta, parecido com uma guioza;
  • pane carasu: um pão de origem árabe bem fininho e crocante, parecido com o pão sírio;
  • malloreddus: nhoque de sêmola feito com linguiça, açafrão, queijo pecorino e molho ao sugo;
  • zuppa galorese: visualmente esse prato lembra uma lasanha, mas é feito com pão envelhecido, queijo pecorino e caldo de carne;
  • seadas: talvez a sobremesa mais tradicional da Sardenha. Uma massa parecida com pastel, recheada com queijo pecorino e coberta com mel e açúcar.
  1. O queijo mais perigoso do mundo

A sardenha produz um queijo, no mínimo, inusitado, para não dizer polêmico. O queijo casu marzu (queijo podre na língua sarda) é feito da seguinte forma: abre-se uma peça de queijo pecorino, que fica ao ar livre por algumas semanas. Com o passar do tempo, o queijo começa a atrair moscas, que deixam seus ovos na peça, que depois eclodem, liberando as larvas. As larvas liberam enzimas que transformam o queijo em uma pasta. Depois disso, coloca-se o queijo sob o sol por cerca de uma hora para remover as larvas. Só então o queijo é saboreado.

O consumo desse queijo é considerado muito perigoso, podendo provocar diversas reações, tais como náuseas, vômito e diarreia, até intoxicações alimentares mais graves. Por essas questões a produção desse queijo é ilegal na Sardenha, mas os mais corajosos conseguem comprá-lo de forma informal no mercado negro local. E aí? Tem coragem de experimentar?

Festa de Sant’Efisio - Sardenha
cristianocani, CC BY 2.0, via Wikimedia Commons
  1. Festa de Sant’Efisio

A maior festa típica da região acontece todos os anos, desde 1656. Essa festa comemora as graças de São Efisio, que, em 1652, ajudou a derrotar a peste que assolava a ilha, trazida por marinheiros catalães e que matou mais de 10 mil pessoas. A festa consiste em uma procissão que dura três dias, começando em Cagliari e terminando em Nora, antiga cidade romana onde o santo foi morto, no ano de 303 a. C.

Gostou das dicas? Comente o que você achou sobre a Sardenha. E se quiser conhecer melhor a região e gosta de fazer passeios guiados, temos várias opções de tours em português.

Sobre Deyse RibeiroSou Deyse Ribeiro, nasci em Minas Gerais, e vivo na Itália há 14 anos. Sou especialista em turismo na Itália, onde adquiri experiência atuando desde 2011 como guia de turismo, criadora de conteúdo sobre turismo e empresária no ramo. Abri minha primeira empresa em 2017, e ofereço serviços, tours, transfers e experiências únicas na Itália, através do Portal TourNaItália.com - uma boutique de experiências diferente de tudo o que você já viu!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.